Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

PORTO DAS PIPAS

miguel sousa azevedo - terceira - açores

PORTO DAS PIPAS

miguel sousa azevedo - terceira - açores

25.Jun.09

2ª Corrida Feira de São João 2009 (24 Junho)

Lembrança evocativa dos 25 anos da Praça de Toiros Ilha Terceira...

Corrida da Prata, com as lembranças dos 25 anos decorridos sobre a inauguração da Praça de Toiros Ilha Terceira, numa cerimónia inicial em que foram agraciados os principais responsáveis pela construção e valorização do imóvel e casa de espectáculos que viria a substituir a velhinha e saudosa Praça de São João, onde hoje se ergue o Centro Cultural e de Congressos de Angra do Heroísmo. Momentos de plena nostalgia, lembrando os que já partiram, e assinalando esta década e meia de bons momentos num redondel que já ganhou fama mundo fora, e onde a qualidade dos carteis vai sendo norma, com especial enfoque nas Sanjoaninas, festas que – há 25 anos, e também num dia de São João – receberam o primeiro cartaz da nossa monumental. Também numa tarde em que a cidade esboçava um sorriso depois de uma noite dedicada ao padroeiro das folias e das graças.
 
Joaquim Bastinhas e João Carlos Pamplona...25 anos depois...
 
Joaquim Bastinhas e João Carlos Pamplona, então em dia de alternativa, foram os cavaleiros de serviço. Hoje, e com a prata também a toldar-lhes as madeixas, deram lugar a seus filhos para as lides a cavalo, numa passagem de testemunhos que quem sente só pôde ter verificado com orgulho. Realce, desde o início das sortes, para a envolvência criada pelos excelentes arranjos da orquestra “Angra Jazz”. Parabéns à nossa praça e à nossa tauromaquia!
 
Os filhos dos artistas, actuando um quarto de século depois da inauguração da nossa praça...
 
1º Toiro (T) nº97 510kg
 
Tiago Pamplona, procurando os tempos certos para duas lides em bom plano...
 
Entrada apreensiva e sem grande fulgor, a que um ferro comprido deu ordem de mudança. Brioso e comunicativo, Tiago Pamplona relançou então a sorte para a música de fundo. Montando o bonito “Universo”, e perante uma boa assistência, o marialva do Posto Santo elevou-se nos curtos e fechou com um ferro de palmo e muitos aplausos.
 
Pega – Marco Sousa (Tertúlia Tauromáquica Terceirense)
 
Brinde a João Carlos Pamplona e Joaquim Bastinhas e belo cite, embora falhando por pouco o intento de abertura. Segunda tentativa novamente com a pega quase feita a um toiro complicado. À terceira o elegante forcado voltou a ter pouca sorte, saindo-lhe o toiro por alto. Consumou à quarta, ficando no ar que a primeira tentativa, com mais grupo, teria sido de estoiro.
 
2º Toiro (T) nº87 495kg
 
Marcos Tenório iniciou de tirada e cedo se viu que o toiro se parava ao cavalo. Apetitoso de pelagem, o “Bombom” que entrou aos curtos, com um primeiro ferro descaído, e que abriu série algo irregular. Com o “Tivoli”, outra montada de beleza a realçar, Tenório voltou à carga mais calmo, mas tendo exagerado na velocidade acabou por não construir uma lide de fio condutor. Embora saindo a crescer.
 
Pega – Nuno Pires (Amadores Ramo Grande)
 
Com praça, braços e valentia. Grande pega para os homens da Praia da Vitória, que apanharam um susto com o seu rabejador a enrolar-se e a ser colhido.
 
3º Toiro (RB) nº477 490kg
 
Bonitas verónicas e revolera para Rúben Pinar aquecer um possante mas deselegante toiro. Chicuelinas bem recortadas a encerrar o tércio inicial, com os bandarilheiros de serviço em bom plano, agradando o local Jorge Silva.
 
Rúben Pinar, na primeira de duas saídas consensuais em Angra...
 
Fazendo oferta da sorte aos terceirenses que gostam de toiros, Pinar soube trazer o toiro ao engano com alento, mesmo se o oponente lhe parecia ter faltado nos lances iniciais. Toureio ao peito, música e muitos aplausos. Bem, Ruben Pinar!
 
4º Toiro (T) nº88 460kg
 
Ferros compridos e a cumprir para Tiago Pamplona, que mudou para o “Ovni” e começou a reavivar a sorte, com um bonito violino a entusiasmar. Lide bastante limpa, apesar de alguns impasses, a fechar com novo violino e um ferro de palmo, e com as bancadas a saudarem vivamente o filho mais velho do primeiro cavaleiro da terra.
 
Pega – José Vicente (Tertúlia Tauromáquica Terceirense)
 
Álvaro Dentinho teve duas boas colocações que falharem o objectivo, com forte derrote sofrido pelo jovem forcado na segunda vez que foi à cara do toiro a obrigar à sua retirada. Acabou dobrado por José Vicente que, como é seu timbre, esteve rijo frente a mais um opositor difícil.
 
5º Toiro (T) nº96 480kg
 
Marcos Tenório, numa tarde onde as coisas não correram bem...
 
Toiro de bonito porte para a segunda actuação de Marcos Tenório, com o filho de Joaquim Bastinhas a tourear mais lento e a levar um toque ao segundo comprido. Irregular no conjunto, nem mesmo a claque vinda de Elvas levantou a apenas agradável passagem de Tenório por Angra. Bom ferro de palmo a culminar a sorte.
 
Pega - Manuel Pires (Amadores Ramo Grande)
 
Lindamente na cara do toiro, faltou-lhe ajuda no primeiro embate. À segunda saiu ao derrote, fechando-se na terceira hipótese, numa tarde/noite em que as primeiras ajudas não foram as mais felizes.
 
6º Toiro (RB) nº497 465kg
 
Novamente em bom plano, Rúben Pinar abdicou de floreados, mas preparou bem o oponente para as bandarilhas, onde um tropeção do espanhol Martinez causou alguma aflição junto às tábuas, isto após novo bom momento de Jorge Silva. Na muleta brindou a Rui Bento e pôs em terreno toda a sua arte, provando ter sido uma boa aposta. Bonitos o passe de peito e o semblante leve com que se ajoelhou e toureou. Ovação merecida. Bem, de novo!
 
Bons momentos para o local Jorge Silva...
 
7º Toiro (T) nº98 350kg
 
João Pamplona para lidar um bonito novilho de passo lesto. Atento e com boa entrega, o mais jovem do clã Pamplona esteve constante e alegre, provando uma vez mais que tem muito para dar ao nosso toureio. Bons ferros e igual atitude em praça.
 
O antigo forcado João Melo, nos comentários para a transmissão online da TV Azores Global...
 
Pega – Tomás Ortins (Tertúlia Tauromáquica Terceirense)
 

Aposta de Adalberto Belerique num jovem valor que desponta. Num misto com o grupo do Ramo Grande, e frente a um toiro difícil de colocar, pega de bonito efeito e com grande segurança.

 

Fim de festa...e as recordações e saudades de 25 anos de crónicas e notas de toureio na nova praça...

(Lembrando o crítico Ricardo Jorge...)

 

1 comentário

Comentar post