Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

PORTO DAS PIPAS

miguel de sousa azevedo - açores

PORTO DAS PIPAS

miguel de sousa azevedo - açores

08.Jun.17

Venha de lá essa raça!

Sergio Conceição.jpg

Ser portista, nos últimos três anos, não tem sido uma coisa fácil. Também não o foi no início do século passado, ou em quase toda a Ditadura. Ser portista tornou-se uma alegria constante nos anos 80, continuando décadas fora, até ao minuto 92 de um certo jogo, aqui há uns tempos. A crise, há muito prevista pelos arautos sulistas da desgraça, acabou por se instalar por completo(s) desnorte(s) da SAD azul e branca - atente-se que apenas me refiro ao futebol sénior do clube -, com vários erros de casting e alguma falta de atitude dentro de campo. E não, não me vou "pendurar" na arbitragem nem em emails mediáticos. Afinal, hoje o FC Porto entrou numa nova era: A era-Sérgio Conceição.

Depois da "mansidão" de Nuno Espírito Santo (NES), não concordo que seja um risco desmedido treinar no Dragão. Mesmo se não vai haver as vendas milionárias do costume, mesmo que Casillas vá embora, mesmo que Brahimi ou Herrera - Deus o leve, dirá o meu amigo leão... - ou André Silva rumem a outros campeonatos. A verdade é que NES conseguiu, embora longe da forma aguerrida que os adeptos desejavam, olear algumas estratégias, embora teimando sempre em apostas erradas, que se metiam pelos olhos dentro, ao longo de cada hora e meia jogada. E o certo é que teve o pássaro - leia-se a hipótese de passar para a frente da Liga Portuguesa - na mão por várias vezes. E por várias vezes o deixou escapar, saíndo sempre de campo com um discurso fofinho, nunca usando de uma influência eficaz sobre as estrelas do plantel, e deixando-nos - aos portistas - a morder o ar, na ânsia de que aquilo não fosse real.

Acredito que agora a história é outra. Sérgio Conceição é o mais portista dos treinadores azuis e brancos das últimas temporadas e tem, face a André Villas-Boas - outro Dragão encartado... - a vantagem de ter vivido no terreno alguns dos êxitos do emblema. E até nem esteve muitas épocas na equipa principal, mas fez - e faz - parte da "cantera". Conhece a história da casa por dentro. E emocionou-se na hora da apresentação. Só isso, já chega para que esteja com ele. Aliado ao facto de ter sido um extremo talentoso, rematador e voluntarioso, ainda mais jogando do lado direito, as características que mais me seduzem no futebol moderno. Acredito que vamos ter razões de satisfação. Mas este, como tantos outros textos sobre o tema, aqui estará para que me apontem o dedo...ou apertem a mão. E venha de lá essa raça!

1 comentário

Comentar post