Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

PORTO DAS PIPAS

miguel de sousa azevedo - açores

PORTO DAS PIPAS

miguel de sousa azevedo - açores

19.Ago.17

A melhor das melhores...

Peça Aeroporto DI 19ago17.jpg

Parece que a melhor Aerogare dos Açores - Carlos César dixit...não fui eu - vai ficar ainda mais bem apetrechada, servindo de forma ainda mais eficaz os seus - cada vez mais - orgulhosos utilizadores.

Parece fácil estar sempre a deitar abaixo (n)o que fazem as entidades oficiais, numa postura quase-histórica e a fazer lembrar os Velhos do Restelo. Pois, no caso da Ilha Terceira, criticar as falhas e denunciar as asneiras tornou-se um longo e fastidioso exercício de paciência, do qual a maioria da população foge a sete pés, não vá perder as benesses do instituído poder rosa. Que não pode ser atentado de forma alguma, correndo-se o risco de reais retaliações.

Quanto à Aerogare, como hoje noticia o "DI", parece que vai haver melhorias e obras - pequenas, calculo, afinal aquilo teve três inaugurações e nunca se resolveram os problemas de raiz... -.

Relembro, assim em jeito de desabafo de verão, os telheiros (nas Partidas), onde os pingos da chuva "acertam" em cheio na cabeça de quem sai do carro; o inédito acesso (às Partidas) limitado a viaturas ligeiras, e impedindo por exemplo um carro de bombeiros ou um autocarro de chegar às entradas; a inédita climatização do edifício, com um piso altíssimo - check-in -, onde ela se esfuma, e um intermédio - embarques -, onde se tirita de frio ou se coze no calor; o período sem fim da milionária construção/remodelação dos parques de estacionamento - ao que se sabe, gratuitos até aprodrecerem os pórticos de pagamento -, que parecia não ter fim entre o tempo e as indemnizações; a eterna promessa do novo terminal de cargas, sempre ali a surgir quando há um ato eleitoral pela frente; o desaparecimento do tapete digital que publicitava Angra do Heroísmo-Património Mundial...certamente perdido numa das infinitas mudanças de rumo nas Chegadas do edifício; a orginalidade de todas aquelas palas e proteções (no acesso à entrada das Partidas), onde a luta contra os elementos naturais - leia-se chuva e vento - se torna um desafio completamente cativamente; para não falar da indefinição sobre quem pode ou não parar uma viatura junto às portas das Chegadas, onde já me convenci que apenas a sorte dita a sua lei. Isto foi assim o que me lembrei...é que já não viajo de avião vai para mês e meio. Por isso...mãos à obra!

Para finalizar, recordo um breve episódio, de uma das três inaugurações - penso que foi a primeira, onde estive como jornalista - daquela sempre-renovada estrutura, e que aconteceu na zona de check-in, precisamente do lado agora mais utilizado...que durante imenso tempo foi mesmo o único a ter ação. E isto há uns bons 12 anos. No meio dos elogios e do faustoso beberete - não sei se as outras duas cerimónias tiveram comida, essa felizmente teve... -, um membro da equipa governamental comentou que "esta zona é maior que a do auroporto de Ponta Delgada. Daqui até às janelas é maior e tem mais espaço", ao que alguém retorquiu que havia dois elevadores grandes bem no meio desse imenso espaço. A resposta foi pronta: "Ah, sim. Tirando isso, é bem maior e tem mais espaço..."!