Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

PORTO DAS PIPAS

miguel de sousa azevedo - açores

PORTO DAS PIPAS

miguel de sousa azevedo - açores

28.Fev.15

A ternura dos quarenta.

Miguel pequeno 2.JPG

Escrever um artigo no jornal porque se faz anos é de um pretensiosismo atroz - mesmo se o fiz, jovem e inconsciente, aos 30, no já saudoso "a UNIÃO" -, pelo que no início desta quarta década de vida decidi não o fazer.

Já li e reli todas as frases feitas sobre o que é completar 40 anos...nenhuma me satisfez. Não gosto mesmo de ver o tempo passar. Mas somente porque ele corre, cada vez mais, solto nas memórias, estranho nas preocupações, selvagem no futuro. Voraz. Perfeitamente voraz.

Mas nem no título do texto fui coerente, afinal o tema musical que popularizou a expressão está manchado com as suspeitas de que o Paco (Bandeira) "arreava" na mulher, e que até a terá assassinado. E isso é das coisas mais detestáveis que pode haver.

Pelo que sigo diretamente para um breve - e leve - balanço. Afinal, a minha vida tem sido fazer balanços. Escritos, falados e emocionados. Sobre tantas coisas e sobre tanta gente, que até penso, de forma egoísta, ter enriquecido com isso. E daqui poderia passar a uma longa descrição de valores e ações, naquele auto-elogio de que tantos abusam. Mas não. Seria chato e moroso. E, com a idade, estou cada vez mais impaciente.

Passa então o aglomerado de palavras - onde poderá haver gralhas, porque sou um péssimo revisor de mim mesmo, a vários níveis - a um desabafo. Desses sim, gosto. São espontâneos como todas os semblantes parvos que faço nas fotografias. E genuínos como a minha forma de sentir. Acho até que não há mais nenhuma.

Falta-me fazer muita coisa na vida - opá, isto está a cheirar a balanço... -, mas olho para trás e consigo sorrir. Aliás, essa é das poucas coisas de que nunca me arrependo. Sorrio descaradamente em toda e qualquer situação. Mostro os dentes em demasia, quase até as gengivas. E nunca vou a tempo de me conter. Se calhar não quero, mesmo.

Vejo nestes anos, meses, semanas, dias e noites, um montão de cacos velhos - desculpa, Carlos Tê... -. Mas apenas quebrados ou gastos por uma erosão natural. A das vivências, das perdas, das alegrias e da dormência em que, tantas vezes, se transformam os espaços temporais. É que, mesmo se tenho um custo imenso em arrepender-me, confesso viver num constante luto. Incómodo. Revivo as recordações com cheiro e sabor, mas tenho ataques de falta de memória. Identifico-me, isolo-me, junto-me e perco-me nessa roda viva das cores e dos negrumes. Porque viver é mesmo isso. E sorrir é a defesa mais barata e eficaz. Uma fuga especial, uma arma doce, um carinho sem destinatário certo.

E agradeço às pessoas dessa vida. Às muitas que tive e tenho. Às muitas que já não ouço. Às várias que nem quero ver.

Na madrugada incessante que é passar à letra o que se sente, a luta é também desigual. Pelo que me guardo, por hoje. Mesmo se já estou a sorrir por amanhã, se já estou ansioso por daqui a mês, se adivinho como será um ano depois deste dia.

É ainda com pinturas de Carnaval e cabeleiras pela casa, que desejo um feliz aniversário a quem ainda o faz. Aconselhando, com o amor dos tontos, que o aproveite. Que sorria. Que nunca amadureça. Parabéns, Miguel. E não me chateies muito...

26.Fev.15

Respect.

Em Alvalade, o Sporting é aplaudido de forma efusiva na despedida da Liga Europa. É por estas e por outras que sempre admirei os adeptos leoninos...

25.Fev.15

Reportagem.

Sobre um emocionado post do Herberto Gomes (RTP/Açores), que relata com nitidez um momento de reportagem num recente julgamento, conclui que nunca cheguei ao extremo da envolvência que ele nos conta, de forma sincera e aberta.

A voz embargada terá sido o mais próximo que senti. Não duvido da intensidade de uma situação assim. Onde o cheiro a vida corrente se mistura com a tarefa. E em que os homens e as mulheres são iguais, sem "leads" nem destaques.

Um abraço, Herberto.

24.Fev.15

Navegador-que-pinta.

Mazda BOliveira Redwan.jpg

redwan.jpg

Redwan Cassamo é um navegador de ralis que pinta. E pinta bem. Entre vários bons resultados na estrada, por exemplo ao lado do Pedro Leal, vão surgindo obras de arte a retratar vários pilotos e equipas. Uma das mais recentes é esta, com a Mazda CX-5 "Açores Team" do Bruno Oliveira e do Paulo Marques, na Baja Portalegre 500 do ano passado. Um mimo

 

23.Fev.15

Academia.

Após duas reportagens radiofónicas sobre os Óscares, começo mesmo a desconfiar que este ano houve prémios para os atores "segundários"...

Pág. 1/7