Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

PORTO DAS PIPAS

miguel de sousa azevedo - açores

PORTO DAS PIPAS

miguel de sousa azevedo - açores

30.Set.13

Por pouco...

Resultados eleitorais em Angra...

Foi por muito pouco, mas o facto é que os angrenses não quiseram a mudança.

Foi uma experiência muito rica integrar uma equipa que não se desuniu por um resultado menos bom. O povo falou e, mesmo baixinho, explicou ao que vinha. Aguardemos e vamos continuar a trabalhar Por Angra.

27.Set.13

Campanha - Dia#11 - último dia

Pela primeira vez na vida assumi a candidatura a um lugar público. A um lugar efetivo, escolhido pelas pessoas, esperando que a avaliação feita a cada elemento de projetos distintos - com valências positivas de ambas as partes, asseguro - seja o mote para uma decisão consciente e tomada, apenas, em nome da nossa terra. É isso que está em causa no domingo e é para isso que amanhã teremos tempo de refletir.

Está em jogo bem mais do que governar um concelho, está em jogo bem mais do que uma alternância partidária, está em jogo - possivelmente - bem mais do que se andou a discutir nestes últimos dias.

O futuro de Angra do Heroísmo e da Ilha Terceira pode mesmo alterar-se, se mudarem as caras e os objetivos do elenco municipal. É um facto. Assim como o exacto oposto é uma realidade a ter em conta. Aposto na primeira hipótese. Ciente de ter sido correto e o mais independente que soube na hora de apresentar ideias e de estabelecer metas. Pois também as houve, mesmo em tempo de encontrar novas soluções.

Por Angra, confio na nossa gente. Por Angra a vossa decisão será aceite de bom grado, e não se acabará a vontade de trabalhar pela terra que pude escolher. Mesmo se tenho a certeza de ter trabalho na terça-feira. Sim, na segunda vou para os toiros de São Carlos...

Votem bem!

 

27.Set.13

Angra, cidade desportiva e saudável

Porque Angra pode ser diferente...

A prática desportiva ou o simples exercício físico democratizaram-se com o passar dos tempos, e longe está a realidade de dois ou três maduros a correr desarvorados pelos nossos caminhos. Hoje, todos correm ou caminham, todos fazem por combater o sedentarismo contemporâneo. Apesar da obesidade crescente na nossa Região, a globalização faz-nos optar por uma mente sã em corpo são, e vai daí os ginásios, health-clubs e outras opções tornaram-se uma realidade crescente (também) no concelho de Angra. Pena é que não haja, por parte das autoridades municipais, uma atenção à mesma velocidade para as valias que os (vários) espaços públicos apresentam para a saúde e o desporto. Afinal, é vermos as dezenas e dezenas de pessoas que percorrem, em passo mais ou menos firme, a zona da marina e arredores, o Relvão, os vários pontos do Monte Brasil ou até mesmo a Circular.

Torna-se urgente valorizar a atividade desportiva de âmbito municipal, descentralizando iniciativas e dando às freguesias rurais um espaço de destaque que se perdeu, mesmo se havia programas de valor que o tempo levou. Convém recordar que Angra teve, há não muitos anos, uma vereação destacada para o desporto, que permitiu a desejada proximidade com os agentes que divulgam e promovem um extenso rol de modalidades. É também urgente que essa realidade seja retomada, parando uma carência por todos sentida. Há um sem número de pequenas ações que podem transformar Angra numa cidade desportiva e saudável. Mais do que intenções, há ideias.

Sem entrar em confrontos opcionais de forma acelerada, espantou-me a promessa do candidato autárquico do partido do poder em relação aos apoios a conceder às instituições desportivas, nomeadamente através da revisão do atual regulamento municipal - uma vontade comum, mas que parece difícil de efetivar -, de forma a garantir uma atribuição atempada desses apoios. Não deixa de ser curioso que, a mesma pessoa que durante mais de uma década teve sob a sua alçada a política desportiva regional, venha agora propalar mais uma ação não conseguida enquanto membro do governo. O mesmo governo, nas suas sucessivas versões, que deu dois terços de todos os apoios desportivos da Região a um único emblema, tendo ainda posturas muito criticáveis face a outras coletividades de referência no arquipélago. É grave prometer quando não se sabe se é possível fazer. Mas, sendo esse um hábito já instalado, até as hostes mais inconformadas parecem desculpar a ousadia.

Bem sei que, quando o presente não é risonho, tudo se faz para convencer o próximo de um sorriso futuro, esquecendo-se o passado de uma forma tão veemente que ele parece nem ter existido. Vai daí e é um ápice para se prometer um parque desportivo municipal, quando nem a autarquia sabe o custo de manter os espaços atualmente sob a sua alçada. Prometer alargar esse alcance é atirar areia aos olhos das coletividades. Pior, é fazê-lo sem aferir a realidade da nossa terra, desrespeitando quem trabalha, por amor à causa, pelos seus clubes e associações.

Afinal, conhecer os cantos à casa (ainda) devia ser uma obrigação para quem pretende gerí-la...

26.Set.13

Campanha - Dia#10

Hoje o dia não foi para políticas, mas sim para passar e repassar os troços do 35º Rali Ilha Lilás/Além Mar.

Naturalmente que o início da manhã serviu para atualizar notícias e divulgar mais algum do muito trabalho das últimas semanas, dos últimos meses. A algumas horas da derradeira ação de campanha - amanhã de manhã, no centro da cidade -, houve ainda um apelo para uma reunião de trabalho. Um encontro sincero e humilde com uma coletividade da nossa terra, mais uma das muitas que, diretamente ou não, depende do erário comum para sobreviver. Sem que por isso perca valor a entrega dos seus dirigentes.

O certo é que já ninguém acredita na inocência dos apoios oficiais atribuídos. O certo é que já ninguém estranha os timings das suas entregas. O certo é que já todos perceberam que a política regional se gere de e para as clientelas firmadas.

Ficou assente o compromisso de tentar fazer diferente. Com outra ombridade e correndo o risco da intenção ser mal entendida e nada popularucha. Mas é bom sentir que, nestes 15 dias - e nos outros 350 do ano - pude ser exatamente e apenas como sou...

25.Set.13

Campanha - Dia#9

Porque o trabalho diário não parou, foi dia de ir novamente à Praia da Vitória, para a derradeira ação de campanha com televisão da minha amiga Judite Parreira. Num trabalho árduo e com uma entrega impressionante, a equipa seguiu concelho fora, depois de aferirmos que o centro da cidade de Nemésio está deserto de gente numa quarta-feira de manhã.

À noite, o evento mais conseguido de toda a campanha em Angra. Um comício na Ribeirinha, o antigo bastião social-democrata às portas da malha urbana, onde uma casa cheia vibrou com a energia posta em palco por intervenientes que deram emoção a quem os ouviu.

Há uma onda criada, que espero se traduza em satisfação pessoal, expressa em votação, já no próximo domingo. Refiro a votação, porque a satisfação de fazer parte de um projeto credível para a minha cidade e para o meu concelho foi já um episódio que não esquecerei. Como experiência, como partilha, como certeza de trabalho feito, como um contributo válido para ser um angrense mais consciente e mais convicto. Oxalá outros se sintam assim... 

Pág. 1/6