Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

PORTO DAS PIPAS

miguel de sousa azevedo - açores

PORTO DAS PIPAS

miguel de sousa azevedo - açores

28.Set.12

Imagens e sentimentos...

Uma imagem sobre um lugar de coração...

Esta é uma excelente imagem - inserida num excelente post fotográfico - do que o Miguel Bettencourt captou na última tourada das Festas do Porto Martins deste ano.

 

Além da qualidade e sensibilidade de cada um dos instantâneos, as legendas que o Miguel lhes foi juntando deixam bem claro o conhecimento e o amor pelo lugar em causa e pelas tradições e lembranças que ele encerra.

 

Continua assim, meu amigo...

27.Set.12

Festas de São Carlos em grande até segunda-feira!

O cartaz das Festas de São Carlos 2012...

Foi com uma enchente e uma noite muito animada, centrada no concerto dos locais Fado Madrinho, que se iniciaram ontem as Festas de São Carlos 2012, certame que se prolonga até à próxima segunda-feira.

No primeiro dia houve também um almoço para idosos e uma sentida homenagem a José Porto, falecido irmão do Império de São Carlos. Esta quinta-feira está reservada ao tradicional pezinho (15h00), abrilhantado pela Filarmónica da Terra Chã, com a noite a ser preenchida pela Ceia dos Criadores (20h30) e pela cantoria (22h00).

O dia de amanhã vai iniciar-se com a bênção e a distribuição da carne, ações que se prolongarão até bem próximo da atuação do Grupo Infantil de Folclore de São Carlos (21h00), a que se vão seguir os ritmos espanhóis do conjunto continental "Los Tres Sangres" (22h00)

Sempre aguardado, o sábado de São Carlos vai ter uma tarde infantil (14h00), seguida de bezerrada (16h00), enquanto se prepara a folia da noite, a cargo da banda RAM-Rock After Midnight (22h30), a que se vai seguir uma festa dos anos 80 e 90, com os DJ's Kalinka e Marmita.

Domingo é dia de coroação - concentração às 10h00 e missa às 11h00 -, momento que se inicia ao meio-dia. Às 13h00 é nomeado o procurador para 2013, havendo depois distribuição de alfenim (15h00), com a Filarmónica da Terra Chã. À noite há a extração dos pelouros (21h00), que antecede nova atuação da Filarmónica da Terra Chã, desta feita para tocar pasodobles (21h30). Segue-se o concerto com a banda The Island Bombs (22h30).

Finalmente, a segunda-feira de São Carlos, dia de tradições e grande afluência, com a procissão de Santo Antão às 10 horas e o bodo de leite (11h00), antes de nova distribuição de alfenim (15h00). A tradicional tourada à corda está agendada para as 17 horas, e juntará toiros das ganadarias Rego Botelho e Casa Agrícola José Albino Fernandes.

A comissão das festas deste ano é formada por Brites Baldaya Cunha, Beatriz Porto, Carlota Rocha, Susana Ferreira, Artur Freitas, César Fonseca, Pedro Freitas e Pedro Santos.

 

25.Set.12

Sanjoaninas 2013: Mar de Emoções

O cartaz das Sanjoaninas do próximo ano...

Mar de Emoções foi o tema escolhido para as Sanjoaninas do próximo ano, uma novidade apresentada esta manhã nos paços do Concelho de Angra do Heroísmo, pelo presidente da comissão das festas, Ricardo Matias.

Numa opção temporal bem medida, deixando que se termine o verão já com a cortina levantada para a promoção das festividades maiores da ilha em andamento, foi salientada a importância do bem-estar de Angra, a sua simbiose com a natureza e, de entre os vários elementos, a relação com este mar que nos afasta e aproxima do mundo.

Os angrenses como povo alegre, e a Terceira com a cada vez mais vincada imagem de parque de diversões do arquipélago, foram características lembradas pelo jovem responsável de um evento que ganha adeptos a cada ano, e que vai recuperando de um período menos bom, onde a (mal pensada) vertente financeira marcou negativamente a realidade das festas.

Assim, para 2013, a promessa é de nova lufada de ar fresco, afinal também pelas sensações se cativam quem cá vem. E, como referiu Ricardo Matias, “os nossos visitantes, também pela nossa cozinha, saem de Angra com água na boca”. E a verdade é que este povo hospitaleiro sabe alimentar bem os seus laços, como o comprovam as ligações com a diáspora, desta feita postas em prática de forma bem clara na promoção e organização das Sanjoaninas.

Ricardo Matias revela a imagem das festas de 2013...

Para ilustrar esse espírito foi criado um cartaz bem-disposto e alegre (com a chancela da Touro Lindo), que retrata – em forma de quase-cartoon – todas as áreas versadas por um programa que se antevê diversificado, se bem que assente nas tradições – que desta feita nem foram afloradas, saudando-se até esse pousio temporário… - e na forma de estar à vontade e de celebração do nosso povo. A imagem faz parte de uma visão de futuro, que lança as festas não apenas para 2013.

Sofia Couto, presidente da edilidade, destacou que as Sanjoaninas “são festas feitas com muito rigor e muita competência”, bem como “o espírito e a entrega com que, ano após ano, as comissões trabalham gratuitamente para a sua terra”. A envolvência com as comunidades emigrantes foi também lembrada pela autarca, que elogiou a opção de as incluir na organização do certame.

586 mil euros é o valor apontado para o orçamento das festas, ainda em elaboração, com a autarquia a comparticipar em 250 mil euros um “bolo” geral que viverá essencialmente da publicidade e da habilidade da comissão em fazer com as Sanjoaninas se paguem a si próprias.

Aspeto da apresentação desta manhã...

A vários meses da animação proposta para o espaço entre 21 e 29 de junho de 2013, resta desejar um excelente trabalho a quem, de facto, tem gosto em promover e melhorar a sua terra. Dentro dos vários rostos que foram levando a bom porto estas Sanjoaninas, são vários os exemplos disso mesmo. Assim se espera para o próximo ano, numa vontade comum de que Angra tenha sempre as melhores festas que podemos viver…

18.Set.12

Num pedaço de terra...

Um foguete, ao entrar da noite...

Há quase uma semana, e nas últimas horas de uma visita de pré-campanha à bonita ilha de São Jorge - de onde são originárias muitas das minhas costelas... -, descemos à Fajã do Ouvidor, pacata localidade em festa onde o silêncio da terra contrastava com as ondas do mar e as palavras de uma missa em fim de tarde.

Na mimosa Ermida de Nossa Senhora das Dores, o espaço era exíguo para todos, mas a cerimónia foi correndo enquanto o dia se despedia da luz do sol. A oração avançou com o cair da noite e, na fase final da celebração, ainda antes de um arrepiante Pai-Nosso rezado dentro e fora do pequeno templo, os foguetes ecoaram no ar de falésia da recatada fajã. Um momento por si só simples, mas por tudo inesquecível e sentido. Talvez porque nestas ilhas nunca nos cansemos de encontrar linhas próprias de uma insularidade vivida a diferentes velocidades. Ou talvez porque também as costelas se encontream mais em paz junto a um seu torrão natal...

Pág. 1/3