Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

PORTO DAS PIPAS

miguel de sousa azevedo - açores

PORTO DAS PIPAS

miguel de sousa azevedo - açores

30.Ago.11

Venha vinho!

Mais uma edição da festa do vinho...

Sexta-Feira, 2
-21h00 – Colóquio “A Saúde e o Vinho”, pela Dra. Cláudia Meneses (nutricionista). 
Seguir-se-á um “Biscoitos d’Honra” e Animação Musical. 
Sábado, 3
“Vamos vindimar”
-14h30 – Saída do Museu do Vinho para a vinha
-15h30 – Carregamento das uvas e regresso ao Museu do Vinho
-16h00 – Pisa das uvas
-16h30 – Bênção e prova do mosto
-17h00 – Jantar dos Vindimadores
-18h00 – Baile e animação musical. 
Confecção do Jantar, Baile e Animação Musical a cargo do Grupo de Baile da Canção Regional Terceirense
NOTA: A entrada no recinto do “Jantar dos Vindimadores” será permitida apenas a quem possuir uma taladeira (peça de barro que estará à venda no local). 
29.Ago.11

Venceu Meneses...à Meneses!

Fernando Meneses foi o grande vencedor...

Mais do que ter-se revelado uma jornada desportiva de mérito, o Rali Sprint “Restaurante Garça” conseguiu juntar muito público na Praia da Vitória, permitindo actuações excelentes de vários pilotos, num traçado muito técnico e onde a valia da habilidade se cotava acima da rapidez pura, o que deu até alguns resultados menos habituais. Fazendo jus ao seu favoritismo, e provando o bom conhecimento que já tem do Impreza N12, Fernando Meneses esteve imperial, vencendo sem oposição após estabelecer os quatro melhores tempos da jornada. Nem um toque na passagem final travou a boa actuação do homem das Lajes. Depois dele, Artur Silva foi um tranquilo segundo, exibindo sempre a sua eficaz condução, num traçado onde só Meneses bateu os melhores Saxo Cup. Sem a oposição de Cláudio Bettencourt – que teve novamente problemas de caixa no EVO8 MR e nem alinhou… -, seria Tiago Valadão a fechar o pódio, depois do abandono de Marco Veredas, com problemas de embraiagem quando era um seguro terceiro da tabela. Também Paulo Meneses teve de parar, depois de ser quarto no troço de abertura. E a seguir de Valadão viria a sensação da noite, Jorge Sousa, que levou o pequeno Micra ex-Carlos Martins a um excelente quarto lugar, vencendo com bom avanço entre os VSH e mostrando uma condução limpa e muito rápida. A estrear o bonito Clio Sport III ex-Miguel Guedes, Nuno Cintra assinou uma prestação muito positiva, ganhando avanço sobre o segundo VSH, no caso o Citroen AX de Hélder Pereira. Depois deles, César Silva nunca contou com um Saxo em perfeitas condições, batendo ainda assim Bruno Silva, que vai evoluindo a cada saída. Hélio Cardoso foi o terceiro mais rápido entre os não homologados, conseguindo ultrapassar Teófilo Pires, cujo Yaris fechou o Top-10. Entre as restantes 8 equipas que terminaram, natural destaque para
Filipe Moura, que nem com dois piões perdeu a vitória entre os Clássicos, deixando o lugar seguinte para Carlos Borges, mas colocando o Starlet como um dos mais aplaudidos da noite.   

Registando sete abandonos, para além das seis duplas que não chegaram a alinhar, a prova teve o condão de manter em alta o ritmo competitivo dos pilotos terceirenses, sendo que muitos deles “têm ido a todas”, o que diz bem da entrega de quem promove, participa e até divulga esta modalidade. Mesmo sob as críticas de alguns, que incapazes de fazer melhor, nem o tentam…daí a sua inegável frustração. Os ralis regressam daqui a três semanas, com mais uma edição do “Ilha Lilás”, a prometer grandes emoções…

 

Moura, em grande…

Ricardo Moura abrilhantou a noite...

Como vem sendo habitual nas várias acções das parcerias Olavo Esteves Competições/TAC, Ricardo Moura esteve novamente na Terceira, abrindo a “pista” com o EVO9 do Team Além Mar. No sinuoso percurso, e usando pneus de terra no seu carro de “reserva”, o tetra-campeão açoriano fez o que melhor sabe: guiar com generosidade, fomentando o espectáculo a um evento que resultou em pleno. Conhecido pela sua habilidade neste tipo de traçados, Moura esteve em grande e, numa altura em que o título nacional absoluto se encontra bem próximo, assume-se cada vez mais como
o principal embaixador desportivo da região…

 

O “quinto” troço…

E o público também não faltou...

A união do convívio com os motores não é novidade por terras terceirenses, onde toda a gente gosta de rir e brincar, preferencialmente juntando alguma emoção a essas actividades. E, já agora, comida e bebida de modo a que não haja fraqueza noite dentro…

Na prova praiense da passada sexta-feira, e à semelhança do que se passa noutras classificativas da ilha lilás, isso esteve bem patente. Sendo que a particularidade do evento reunir quatro “especiais” e muitos espectadores que prosseguiram a festa pelo local, terá criado um novo “conceito”: o “quinto” troço! Para bons entendedores, nem valerá a pena explicar mais…

 

(Fotos: Francisco Veloso e Ricardo Laureano)

 

- Classificação Final AQUI

 

17.Ago.11

Em busca do quinto toiro!

(que jeito dá um telemóvel no Lameirinho...)

Junto a uma tapada...

A música da Serreta...

Em casa do Sr. Paulo Borges, antigo presidente do Lusitânia...

Um grupo de habituais amigos no encontro que uma tourada à corda sempre proporciona; um telemóvel com câmara fotográfica – já quase todos a têm… -; uma dúzia bem contada de portas abertas no arraial e, claro está, a busca incessante pelo quinto toiro, afamado que é este pelas suas “marradas” silenciosas…

A receita parece reunir-se para uma tarde, fim-de-tarde e seguintes, vividos em boa disposição, e bem a salvo dos humores do “Sebastião”, a estrela crescente do ferro “Eliseu Gomes”, que para os lados do Lameirinho fez valer bem a proximidade à moradia de origem daquela ganadaria angrense.

Em casa do Sr. Paulo Gonçalves, minutos antes...

...de saltar pela traseira para a casa do Hildeberto Borba...

E frente à tapada do Sr. Gouveia...

Debaixo do castanheiro do amigo Lima...

A tarde começou ao ritmo caloroso da Filarmónica Recreio Serretense, cuja boa disposição e labor acompanhou os quatro “EG” desde o mato à entrada de Angra, viajando em acordes pelas várias casas da festa. Poisados em ramos verde - de passeio entre os riscos -, e face à simpatia inerente de um dia de toiros, a coisa desenrola-se. Fluente no sorriso, calorosa na recepção, amiga na despedida e fresca no gelo de uma cerveja de vontade. Ficam os instantâneos de mais uma ronda de sucesso – era esse o mote das festas em 2010 e assim se prosseguiu… - pelo Lameirinho. Para o ano há mais!

Na casa de um mordomo para 2012, o Paulinho...

Na casa do clã Alves...

E junto aos homens do chafariz da cerveja...Zé Maria e Bola!

Pág. 1/2