Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

PORTO DAS PIPAS

miguel de sousa azevedo - açores

PORTO DAS PIPAS

miguel de sousa azevedo - açores

30.Out.10

Meio século de Maradona...

O céu azul foi sempre o limite de Maradona...

“El Pibe” faz hoje 50 anos. Da Argentina natal, rumado a Barcelona, aclamado em Nápoles, e passando por todo o mundo fantástico do futebol, Diego Armando Maradona é uma referência plena. Capaz das maiores proezas, e também autor das maiores polémicas, num conjunto de contrastes que o rotulou como uma estrela planetária, o homem das pampas teve ascenção e queda a fazer correr os títulos dos jornais e as aberturas noticiosas internacionais. Mais comedido que outrora, o criativo argentino continua a mover paixões e, por mais eleições seculares encomendadas – imagine-se que uma delas colocou Platini na frente de Eusébio entre os melhores… - que existam, a magia do futebol há-de sobreviver para o confirmar. “Dieguito” foi, e será ainda por muitos anos, o jogador mais genial de todos os tempos…

 

29.Out.10

Todos à Serra! (SE 35 anos TAC)

O gancho da Serra da Cume pronto para a emoção...

Fotos: Ricardo Laureano/RL photo

 

Encerra-se amanhã o "Troféu Super-Especiais 35 Anos TAC", um evento que o clube de Angra criou em 2010 para comemorar o 35º aniversário do seu nascimento – o TAC foi fundado a 26 de Maio de 1975… -, e que ao longo da época fez disputar outras duas SE’s, nomeadamente a das Veredas e a das Contendas, sendo agora o bonito cenário da Serra do Cume o ponto de encontro para as equipas inscritas. Assim, e a partir das 14 horas, 21 duplas vão subir ao alto da Serra do Cume, com o troço escolhido a iniciar-se na zona de lazer de São Brás, percorrendo parte do inicio da classificativa "Fontinhas/Serra do Cume", e terminando na zona do miradouro da Serra do Cume, efectuando todos os participantes a ligação em caravana, após a primeira passagem e rumo ao início do percurso de 5 quilómetros, para então efectuarem a sua segunda tentativa de obter o melhor tempo possível. Uma parte inicial de asfalto em bom estado, mas algo sujo, antecede a zona mais rápida do troço, para depois o empedrado e o conhecido “gancho” abrirem a classificativa a uma subida que é feita quase sempre a fundo e que obriga a grandes atenções.

Em termos competitivos, e com Artur Silva e Hermano Couto destacados na luta pela vitória no troféu, é licito atribuir o favoritismo, até pelas características do percurso, ao homem do Lancer EVO8, mas nunca fiando, pois o mais velho dos manos Silva tem sabido surpreender quando é preciso. E para complicar a vida do pódio, destaque-se a presença do fogoso Marco Veredas, decerto a querer esquecer a curta prestação do “Lilás”. Carlos Andrade e o Clio Ragnotti devem andar ali perto, mas atentos aos melhores dos VSH, isto em provas onde a classificação é conjunta, daí que os carros mais idosos costumem fazer a sua “graça” em termos de geral. Nos não-homologados, Paulo Veredas é o natural favorito, tendo de contar com Jorge Sousa para confirmar novo triunfo, mesmo se o melhor da tabela geral até é Hélder Pereira, cujo AX GTi tem dado que falar. Animada deve ser também a luta entre Fábio Fontes e Ricardo M. Moura. Ao nível dos Clássicos, Adelino Sousa vai sendo rei e senhor, destacando-se que o seu navegador Artur Dias é terceiro à geral após as duas primeiras tiradas do troféu, e que André Avelar se vai estrear ao volante num Toyota Starlet. Em perspectiva está uma jornada curta no tempo de duração, mas animada nas lutas que se aguardam.

Pelas 21h30 decorrerá, na sede do TAC, a entrega de prémios da prova, bem como a entrega das distinções finais relativas ao "Troféu Super-Especiais 35 Anos TAC".

 

“a UNIÃO” de novo na estrada…

 O bonito Toyota Corolla GT de Jorge Sousa...

E novamente a nossa reportagem será feita “onboard”, desta vez graças um convite do piloto Jorge Sousa, que irá permitir ao navegador/jornalista a cobertura do evento com outras emoções, tripulando o belíssimo Toyota Corolla GT e “cantando” as notas no habitual lugar de Adriano Rosa. Não sendo um percurso de agrado particular para o rápido piloto, convém referir que o reluzente carro nipónico tem vencido em quase todas as saídas em asfalto ao nível do VSH. Pelo que não será de admirar a luta pelos lugares da frente e, seguramente, o afirmar de uma posição no pódio da categoria. Agora numa viatura de tracção atrás, e logo daquelas que marcam bem a vista ao passar, o nosso jornal “está lá” outra vez…

21 equipas em liça a partir das 14 horas...

28.Out.10

O Presidente (crónica)

Cavaco Silva recanditatou-se à presidência da República...

Ainda antes da ruptura das negociações em torno do Orçamento do Estado, Cavaco Silva apresentou a sua recandidatura a Belém, tomando afinal a decisão que todos esperavam, e querendo decalcar ao máximo a toada da candidatura inicial, sendo claras as parecenças visuais e até motivacionais face à sua iniciativa de há cinco anos. Em 2006 apoiei uma candidatura de cidadania, criada no seio da sociedade civil, contra dogmas partidários e, como tal, original no conteúdo e balanceada pelas belas palavras de Manuel Alegre, o tal que, sem o apoio da força política no poder, ia levando Cavaco a uma segunda volta. Mas também o tal que nos anos seguintes mais não fez que ir pedinchando o apoio socialista, visando nova candidatura, mas rompendo com os pressupostos de luta que antes Alegre soube apresentar e defender. “Palavras leva-as o vento”, e assim fez Alegre com os ideais em que assentou a sua primeira ida às urnas, ficando-se agora pela melancolia de uma intervenção sem sumo e aquém do que o seu estofo intelectual encerra. E só foquei este ponto porque não tenho dúvidas, nem históricas nem práticas, da reeleição de Cavaco Silva em Janeiro próximo. Bem vistas as coisas, e a coerência pode bem ter sido o ponto comum do seu mandato de entrada, que se gerou polémicas e discussões deve isso ao momento actual do país, que já era mauzinho em 2005. Como caracterizar que as principais criticas – atiradas a preceito ao economista de Boliqueime - se prendam com a ultrapassagem dos poderes de presidente, e que depois as principais reacções à sua recandidatura desembainhem exactamente que deixou o pais no estado em que está? Então que coerência tem quem o acusa de querer governar demais e depois lhe cola o pecado de ter desgovernado a nação? Algo vai mal na classe política, é um dado adquirido, mas agora sacudir do capote dos governantes a sua responsabilidade parece-me um exagero de momento, mesmo se as forças políticas de maior dimensão vão sendo cada vez mais inábeis no uso dos pressupostos da democracia. Se eu votar em Janeiro, até o devo fazer em Cavaco. Até porque acho a abstenção a mais absurda atitude dentro dos pressupostos atrás citados. Isto, mesmo que Cavaco não se ria até lá. É que, pensando na realidade do país, também eu tenho pouca vontade de me rir… 

26.Out.10

O adeus apressado ao Walkman...

O Walkman passará a ser uma imagem do passado...

Passada a barreira dos 30 anos, o Walkman vai mesmo deixar de se produzir, passando a eternizar-se nas muitas memórias dos anos 80 como a forma mais "cool" de então para ouvir música. Com efeito a multinacional Sony, empresa criadora do conceito, vai mesmo descontinuar o seu fabrico, ficando à venda apenas o stock ainda disponível, que certamente esgotará num ápice. Afinal, como em tudo na vida, também nos gadgets pode imperar a nostalgia, além de que não há nada mais apetecível do que possuir o que vai entretanto acabar.

Depois de puxar pelas lembranças - e sem ter nenhum vetusto Walkman perto de mim... - recordo que me ofereceram um "bichinho" desses quando tinha dez anos. Era um Sanyo, veio dos Estados Unidos, e "comia" 4 pilhas Tudor AA em bom ritmo, sendo que me prestou bons momentos de audição para êxitos de Paul McCartney - sim, eram os tempos de We All Stand Togheter sorrir... - numas férias continentais, pois fora essa a escolha numa loja de cassetes em plena Feira Popular. Uns anos mais tarde, fui já eu à Frijoc adquirir um pretinho Sony (com sistema Megabass), que andou por outras ilhas em passeio e que ainda deve ter corrido uns quilómetros nos tempos da boa forma física. Esse já ouviu com outra selectividade a epopeia dos Nirvana, a afirmação dos James ou os sons abertos de Robert Smith com os The Cure. Outras alturas e outras hipóteses que tínhamos. Que, de tão mais escassas, seguramente aparentavam um muito maior valor... fosse qual fosse a marca do Walkman... 

Pág. 1/6