Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

PORTO DAS PIPAS

miguel de sousa azevedo - açores

PORTO DAS PIPAS

miguel de sousa azevedo - açores

30.Set.10

Ainda mais, José?

tenho um amigo que já me disse estar a apertar na fivela...

O país - o nosso... Portugal. Conhecem? - deve estar ainda a digerir as palavras e as medidas ontem enunciadas por José Sócrates. Não é que o primeiro-ministro veio dizer à lusa pátria que tinha um "grave problema de finanças públicas"?

Coitada pobre da nação portuguesa, que ainda há uns dias via os seus gestores públicos e demais compinchas responsáveis pela "populaça" a "abrir" de BMW série 7 e Audi A6 rumo a comezainas graúdas com os seus amigos angolanos e afins; que ainda há uns dias via o mesmo Sócrates - num comício encenado à beira mar de Matosinhos - dizer que acreditava no rumo traçado e em todas as respostas para o futuro que o seu governo asseguraria; que ainda há uns dias aferia as maiores manifestações de pesar pela interferência do presidente da república na instalada e cor-de-rosa paz institucional.

Enfim, esta mesma pátria assistiu ontem, de dentes e punhos cerrados e refastelada no sofá, ao anúncio alarmado de medidas de austeridade com o objectivo de consolidar as contas públicas. Entre essas medidas - uma palavra que foi repetida até à exaustão mental de todos os habitantes da dita... - estão o corte de 5% na massa salarial dos funcionários públicos, o congelamento das pensões já em 2011 e o aumento em 2% do IVA, que passará a ter o mesmo número do famoso Michael Jordan. As restantes taxas do IVA também vão ser revistas. Enfim, um "apertão" no cinto dos pululantes portugueses, que já andam a fazer contas ao tecido para virar as calças para as costas...pelo menos deixam de ver a fivela com tanta frequência, sentindo apenas o seu frio raspar nas costelas...

29.Set.10

As “soltas” do 32º Rali Ilha Lilás…

Ricardo Moura dedicou a vitória alcançada ao seu mecânico de confiança Adérito Melo. O simpático micaelense não pôde estar presente na Terceira devido a um infeliz acidente de trabalho nas vésperas do rali. Fazendo nossas as palavras de Moura, que lhe atribuiu grande parte da responsabilidade dos títulos pela imensa fiabilidade do EVO9, desejamos ainda a recuperação possível ao nosso amigo Adérito.

 Gustavo Louro recebe o prémio de Piloto do Rali...

Fotos: Ricardo Laureano (RL photo), Benjamim Bento e André Costa.

 

Gustavo Louro foi eleito o “Piloto do Rali”, em mais uma iniciativa do nosso jornal, que novamente escolheu o piloto que mais se destacou na estrada. Jorge Silva (Diário Insular), Ricardo Laureano (RL photo), Francisco Veloso (Formula Rali), Pedro Ferreira (Rádio Clube de Angra) e Costa Martins (Fábrica de Tabaco Estrela) escolheram o vencedor, desta feita numa votação muito dividida. Louro recebeu uma peça alusiva ao feito, baseada numa imagem exclusiva do cartoonista Bruno Rafael. Em jeito de cópia, um outro prémio foi criado nas vésperas da prova, tendo o piloto Ricardo Dias sido distinguido, curiosamente mesmo sem todos os convidados terem votado para a menção…

 Ricardo Dias/Jorge Pereira, no pequeno Fiat Cinquecento...

Mas Ricardo Dias foi mesmo um valor que se confirmou na estrada, ele que participou como vencedor da “Academia de Rali” promovida pela Auto Avelino Sport. Muito limitado pelas capacidades do pequeno Fiat Cinquecento, Dias foi para a prova pleno de confiança, e a forma como traçou trajectórias e encarou o desafio confirmou a sua valia como piloto, assim como a valia da iniciativa que o “descobriu”…

 

Na sexta-feira à noite uma das novidades foi a “Curva Sagres”, uma iniciativa que visou distinguir a melhor passagem junto ao Restaurante “Beira Mar”, num galardão que seria também ganho por Gustavo Louro e Tiago Azevedo, autores de uma curva espectacular junto à antiga Alfândega. Joaquim do Carmo e um júri convidado escolheram a prestação do terceirense, que depois as imagens e o muito público amplamente confirmaram.

A uns minutos de iniciarmos as nossas funções...   

Desta feita o repórter de “a UNIÃO” teve um contacto diferente com a prova, tudo devido ao convite do piloto Paulo Maciel para que fosse o seu navegador no carro-zero. No Saxo Cup de treinos do já campeão da Formula 3, as emoções foram contidas pela responsabilidade de sermos carro de segurança, mas ouve notas de andamento, passagens rápidas e uma vivência excelente dentro de um carro de competição e com um grande piloto ao volante, sem dúvida a melhor visão para quem quer apreciar e analisar o fenómeno dos ralis. Obrigado ao Paulinho, e agora ainda cresce mais a vontade de fazer provas com outras ambições…

 José Patrício, sempre em grande actividade...

José Patrício, o popular “Néné”, é sempre bem recebido na Terceira, terra onde há muitos anos participa em ralis, e pela qual nutre um especial carinho. Homem crente e de alma festiva, nem quando o acelerador do bonito Escort Mk2 o deixou ficar mal, lhe passou a boa disposição. Afinal, e quando se reúnem a amizade e o desporto como na sua equipa e companhias, não há mal que não dê em fartura…nem que seja à mesa!

 Jovens espectadoras em excelente pose no final do rali...

O público pareceu algo arredado desta edição do “Lilás”. Não que as estradas estivessem pouco compostas de espectadores, muitos deles de tenra idade e até já bem entendedores da coisa, mas a “concorrência” social para o fim-de-semana era imensa – com as festas em São Carlos e nos Biscoitos -, deixando um ou outro local mais despovoado que o costume, mesmo se a enchente no Litoral tenha sido, novamente, retumbante.

 Pois... foi mesmo uma noite de recordações...

E foi mesmo pelos toiros do porto dos Biscoitos que começou a conversa que iria dar em noite de recordações. No dia seguinte ao rali, o pequeno grupo que saiu junto da casa do José António Pacheco – piloto do carro 00 e anfitrião em grande estilo… -, foi mesmo acordar o antigo navegador Orlando Couto e, na mesma mesa, juntaram-se a esposa deste com os seus filhos e do antigo piloto Paulo Costa, o “puxador” da conversa “Licas” Pimentel, os Luíses Rego – júnior e sénior… – e o jornalista de serviço. Que não deixou passar em branco um manancial de histórias, que um dia ainda darão belas páginas dos ralis e da vida… 

 Ricardo Carmo, em mais um rali azarado...

Ricardo Carmo foi um homem azarado durante o fim-de-semana, mesmo se a contenda começou com um excelente segundo lugar na especial de abertura, seguindo-se o assumir de que o pódio era um objectivo alcançável, não fosse um furo que desmotivou o piloto. Em 2010 as coisas não têm, de facto, corrido bem ao recruta terceirense do “Team Além Mar”, mas nada que justifique o ataque aberto, e consecutivo, que alguma comunicação social lhe move. Quem percebe de ralis, e sabe distinguir os carros e as situações, bem poderia esforçar-se para ter mais atenção a esses factores…

 

Foram três as classificativas interrompidas devido a acidentes com três Citroen Saxo Cup. De manhã, as duas do Barro Vermelho foram paradas pelos despistes dos irmãos Artur e César Silva e, já de tarde, a segunda das Canadinhas foi bloqueada pelo carro de Paulo Vilas. Em duas das ocasiões, o rali parou mesmo no concorrente nº30, Cláudio Cabral, que não deve ter achado, como tantos outros, especial piada por ficar com menos três troços percorridos…nem à repetida coincidência!

 Pedro Vale assinou mais uma grande prestação na Terceira...

Pedro Vale, que na Terceira foi acompanhado por Abel Carreiro – e que, na foto, ladeia o EVO7 com a sua “team-manager” Carla Vale… - sagrou-se vice-campeão açoriano em 2010. Um resultado que premeia um ano de andamentos excelentes de um piloto que já provou imensas vezes o seu virtuosismo. O seu Lancer – mesmo sendo um excelente carro… - é inferior ao da concorrência mais directa, pelo que se espera apareçam apoios para que Vale capitalize em 2011 o ritmo certeiro desta época, mas numa montada que permita outras aspirações.

 Um grupo de adeptos dos ralis com um carinho especial pelo TAC...

A entrega de troféus do rali ficou marcada por algumas distinções particulares, sendo que as primeiras estiveram a cargo do presidente do Terceira Automóvel Clube, Gerardo Rosa – assumido, na noite de sábado, recandidato ao lugar -, que resolveu chamar ao palco um conjunto de pessoas com quem tem trabalhado e dividido a paixão dos ralis nos últimos anos. A esses, acrescentaram-se as lembranças da “Além Mar”, em ano de décimo aniversário ao lado do “Lilás”, distinguindo as autarquias terceirenses, o clube organizador, e ainda três personalidades locais.

 

Boas de ouvir foram as palavras de Filipe Rocha, o director de prova, após o final do rali, realçando a grande amizade com que se trabalha no TAC, e o facto de ser apenas quem encabeça uma equipa com muita gente, que de forma descomprometida se dispõe a trabalhar para que possamos ter entre nós provas de qualidade, como tem acontecido. É nesse espírito que se deve continuar a laborar pela Avenida Jácome de Bruges…é que assim, além de terem outro valor, as coisas sabem muito melhor quando correm bem.  

24.Set.10

Rali Ilha Lilás: "Está na hora!"

Daqui a poucas horas os motores roncarão novamente na Terceira...

Fotos: Ricardo Laureano

Sexta-feira de rali. Zona das Avenidas de Angra e o burburinho de outrora já não é tão visível. Uns carros aguardam vez para alinhar direcções e calibrar rodas. O Yaris da “Meloa de Santa Maria”, esse esteve em exposição durante uns dias, mas mais ou menos escondida a azáfama do rali já não tem a mesma cor. As oficinas dispersaram-se pela ilha, a estradas mudaram, e ir à Praia é agora um “tirinho”. As lombas do Barro Vermelho e os muros traiçoeiros do velho Serra do Cume deram lugar às rápidas zonas do Império/Feteira ou à descida alucinante para o Caminho do Meio, mantendo-se apenas o misticismo das Veredas, hoje uma verdadeira pista e bem longe do empedrado ladeado de arbustos que impunha respeito a qualquer passagem. Como a vida, esta coisa dos ralis também sofre mutações, mas uma coisa está exactamente igual, se não maior: a vontade de ir para estrada. De participar, de assistir, de ajudar, de relatar ou de eternizar em imagem, tudo se junta numa mole humana que impressiona a cada saída e, e uma vez mais na Terceira, “Está na hora do rali”!...

Será possivelmente a última prova do campeonato deste ano – mercê das dificuldades para levar à estrada o derradeiro evento em São Miguel -, e já estão decididos dois dos quatro títulos a atribuir. Ricardo Moura sagrou-se tri-campeão só com vitórias, e Paulo Maciel estreou-se no campeonato com o ceptro da Formula 3. Por entregar está um merecido galardão a João Faria (F2), enquanto nos VSH do “Regional”, a ausência do líder e campeão em título, Milton Resendes, deixa o faialense Paulo Costa em posição privilegiada. Na luta absoluta, nota ainda para a indefinição quando ao vice-campeonato, luta em que Pedro Vale parte com vantagem sobre Sérgio Silva.

Assim por alto, bem pode dizer-se que estão reunidos os condimentos para um rali sem pressão pontual de vulto, e onde todos terão a obrigação de andar depressa sem olhar às tabelas. Ricardo Moura, rodado de mais um rali nacional, e com centenas de quilómetros em asfalto nos meses de Agosto e Setembro, é o candidato natural a vencer, mas o certo é que os deslizes não serão perdoados por um Gustavo Louro motivado, isto apesar da falta de rodagem desde Abril último. Ainda no pódio, a luta promete entre Ricardo Carmo, o jovem Luís Miguel Rego, e principalmente os já referidos candidatos ao “vice”, Vale e Silva, sempre com Hermano Couto “à espreita”. No mundo das duas rodas motrizes até 1,6 litros vai instalar-se a mais feroz batalha, com Marco Veredas, os manos Silva, Carlos Costa e Fernando Meneses possivelmente um tanto adiante de Henrique Moniz, com o graciosense Cláudio Bettencourt e o C2 de Ruben Rodrigues a serem “outsiders” de luxo. Na F2 o feudo é de Olavo Esteves, mas a animação deve ser rija entre Sérgio Cardoso, Carlos Andrade e Cláudio Cabral, que terão no quase-campeão Faria uma referência a reter.

Entre os VSH, a citada ausência de Resendes muda um pouco as preocupações pontuais, mas é certo e sabido que Paulo Veredas e Jorge Sousa serão os mais rápidos em casa, se bem que Bruno Tavares seja um nome a contar face ao seu potencial, este ano apenas confirmado em Santa Maria. Nos Clássicos vai correr-se a quatro, mas é sabida a inacessibilidade aos tempos de Adelino Sousa por banda da concorrência, mesmo se o espectáculo está garantido.

Uma estrutura simples e curta – talvez em demasia… -, e sem grandes novidades a assinalar, dá corpo a um rali bastante compacto, onde a década com um patrocínio comum e a declarada vontade de fazer bem feito devem nortear os homens do Terceira Automóvel Clube. No ano do 35º aniversário, nada como uma boa cigarrada depois de um café de qualidade…

 

Atravessadelas “à Leão”…

 À porta da Casa Leão...depois da barriguinha bem cheia...

As andanças dos automóveis têm tanto de emoção como podem ter de camaradagem. E aí, nada como uma boa mesa e sossego para pôr a conversa em dia e explicar as habilidades necessárias ao atravessar de um carro numa curva apertada…ou até ao atravessar de um pedaço de presunto serrano e uma tira de queijo de São Jorge em cima de uma fatia de pão de milho!

Na quarta-feira à noite, um pequeno grupo juntou-se na “Casa Leão” - estabelecimento onde o “chef” Maurício ostenta orgulhosamente uma foto da Renault 4, em que navegou o conhecido Manuel Ávila, em grande plano e duas rodas na curva da Tercon… -, para um convívio em que o mote eram os carros de rali, mas cujo “parque de assistência” ostentava antes chicharros fritos, morcela, linguiça, orelheira, batata doce ou meloa. Enfim, tudo material de primeira para enfrentar o primeiro troço em grande forma. As equipas Paulo Veredas/Hugo Couceiro e Cecília Augusto/Alexandra Ferreira – isto face à ausência forçada do Starlet de Filipe Moura/Duarte Gil -, davam as boas vindas à prova (que também foi de um bom tinto…), reunindo-se os condimentos para um rali Ilha Lilás com o estômago bem mais aconchegado e o pé esquerdo cheio de força. Até porque a “Amorinha” final adoça a boca a qualquer navegador…

24.Set.10

"a UNIÃO" distingue o "Piloto do Rali"...

Mais uma vez o jornal aUNIÃO distingue o piloto do rali...

À semelhança do sucedido no Rali Sical deste ano, e na segunda edição do Rali Ilha Graciosa, o jornal angrense “a UNIÃO” vai distinguir o “Piloto do Rali” na 32ª edição do Rali Ilha Lilás/Além Mar. Um júri formado por convidados irá escolher o concorrente que mais se destacar ao longo das nove classificativas, com o vencedor a ser agraciado com uma peça alusiva ao feito, novamente baseada numa imagem inédita e exclusiva do cartoonista terceirense Bruno Rafael.

Recorde-se que, em Abril (Rali Sical), o jovem César Silva mereceu a distinção, enquanto na ilha Branca foi o local Cláudio Bettencourt o escolhido para receber o prémio. 

 

PS - Já após a divulgação desta terceira atribuição do prémio do "Piloto do Rali/a UNIÃO", veio a (algum) público o anúncio de um outro prémio, cujos moldes são em tudo semelhantes ao referido, uma iniciativa que se saúda, lamentando-se apenas a gritante falta de imaginação ao copiar um modelo já criado e original entre nós...

24.Set.10

Paulo Maciel no carro-zero do "Lilás"

Paulo Maciel, já campeão açoriano da F3 em 2010...

Paulo Maciel não deixou de marcar presença na Terceira, mesmo se não tinha seleccionado o “Lilás” como prova pontuável, e se o título da Formula 3 foi já alcançado. Assim, o rápido piloto micaelense vai colaborar com a organização, desempenhando as funções de carro-zero, a viatura de segurança que abre a estrada logo antes do primeiro concorrente. Sendo uma forma de “participar na festa, e de agradecer ao público o apoio dado nas anteriores deslocações à Terceira”, Maciel diz que assim “poderei também estar por dentro de um rali que espero disputar no futuro”, explicou.

Resta referir que o autor deste espaço terá o prazer de acompanhar o campeão da F3 na estrada, desemepenhando uma função diferente neste rali, isto num ano em que foi também o “press-officer” da dupla Paulo Maciel/Filipe Gouveia.

Pág. 1/5