Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

PORTO DAS PIPAS

miguel de sousa azevedo - açores

PORTO DAS PIPAS

miguel de sousa azevedo - açores

30.Set.09

100 anos de "Pinga".

Artur de Sousa "Pinga" faria hoje 100 anos...

Passaram-se hoje cem anos sobre o nascimento de Artur de Sousa "Pinga", possivelmente "o maior talento do nosso futebol", segundo o histórico Cândido de Oliveira. Interior esquerdo de posição, e originário do Funchal, "Pinga" era um jogador espantoso, dono de um remate poderosíssimo e de uma técnica refinada, estas apreciações ouvidas directamente do meu avô Fernando, que foi um fervoroso portista dos tempos da Constituição. Várias vezes o ouvi recordar o repto "chuta, Pinga!", ou coisa semelhante, quando chamava à memória as lembranças do contemporâneo de Acácio Mesquita - esse sim seu amigo directo e que citava sempre - e de Valdemar, com quem formou um trio de luxo e que atemorizava os adversários.

Lembro-me de com ele folhear a Fotobiografia do Futebol Clube do Porto, onde reconhecia a dedo as figuras das décadas de 30 e 40, as últimas que passou por inteiro na sua Invicta de criação. Há uns anos lembro-me de entrar no velho campo da Constituição, curiosamente em dia de captação de jovens valores, e de facilmente identificar no então tosco espaço o palco de emoções antigas.

Tendo como mote o centenário de "Pinga", um fenómeno que nasceu, possivelmente, no tempo e lugar errados, nada como o "calcanhar" com que Falcão levantou as bancadas azuis-e-brancas há uns minutos para assinalar o talento dos jogadores e o alento que este desporto-rei vai dando a um país de tempos difíceis. Tanto agora como nos idos anos 30, em que "Pinga" e outros brilharam a Norte...


 

30.Set.09

...da concha Tridacna.

Estas duas imagens apresentam duas fases distintas de observação da escultura/instalação que a minha cunhada e amiga Regina Ramalho tem patente na Exposição Internacional de Escultura "Artemar", que embeleza espaços do Passeio Cascais Atlântico e cujos restantes trabalhos podem ser vistos aqui.

 A concha, em plena luz de natureza e mar...

 

...e, de noite, fechada na sua cor própria, assume a criação...

Escusado será referir que, e tratando-se de um concurso, deixo aqui expresso o meu voto, ainda mais porque, depois de aferir as restantes propostas, mantive a minha preferência familiar. Que aconselho a corroborarem a bem de uma escolha acertada. 

A obra em si, que pretende apresentar - ao lusco fusco - sensações e mensagens, tem o seu próprio diário de bordo, curiosamente título de um dos livros de poesia do meu tio-avô António de Sousa (sobre quem, surpreedentemente, descobri agora mesmo um blogue...), de cuja poesia cito um trecho, que dedico inteirinho à Regina e à vontade que espero encontrada de pôr cá fora tantas e mais composições...com cores, luzes e tudo que a vida tenha.

  

Perdida a vela de estái,

  

todo o massame em apuros,

fiados sete esconjuros,

trouxe o navio a querena

a esta praia pequena.

 

Depois,

não sei se volte a embarcar,

se compre uns bois

e me meta a lavrar...

Sei que em mim quebra um mar

a sol e luar

 

e Deus é Pai!

29.Set.09

Ainda em vigor...

Títulos da cidade de Angra

 
Tendo sido esta cidade condecorada com o título de - Muito nobre e sempre leal cidade de Angra - pelos feitos heróicos praticados por seus fiéis habitantes na restauração de Portugal em 1641, e tendo outrossim estas ilhas sido declaradas adjacentes ao reino de Portugal por alvará de 26 de Fevereiro de 1771, e ultimamente contempladas como província do reino, §.
1.º, artigo 2.º, título 1.º da Carta Constitucional: há por bem esta Junta Provisória, encarregada de manter a legítima autoridade d'el-rei o Sr. D. Pedro IV, declarar em nome do mesmo Augusto Senhor, que todas as nove ilhas dos Açores são uma só e única província do reino, e que esta cidade de Angra é a capital da província dos Açores. As autoridades a quem competir assim o tenham entendido, cumpram e façam executar: e o Secretário dos Negócios Interinos faça dirigir cópia deste decreto às estações competentes e autoridades na forma do estilo.
 
- Angra, 28 de Outubro de 1828. -
 
Deocleciano Leão Cabreira. - João José na Cunha Ferraz. - José António da
Silva Torres. - Referendado; Alexandre Martins Pamplona.

 

27.Set.09

Reflexões, votos e "frescas"...

Diz tudo a T-Shirt do nosso RL...

Esta é a T-Shirt que o meu amigo Ricardo Laureano idealizou para usar esta tarde nos toiros do Domingo do Porto, nos Biscoitos. Salvaguardando as distâncias, a ideia do nosso "RL" diz bastante do interesse costumeiro que a ida às urnas tem tido por estas bandas, e isto mesmo se a Comissão Nacional de Eleições acabou de confirmar que houve já mais votantes - até ao meio-dia... - que em 2005.

Pessoalmente, e uma vez que o trabalho referente à campanha eleitoral incluiu idas a São Jorge, à Graciosa e a outras arruadas que tais - mas quem será que "desenterrou" o termo?... -, rapidamente o dia de reflexão (ontem) passou a uma semana, perdendo aqui este espaço a partilha das andanças directas com os políticos em forma de candidatos, e que culminou com um passeio por Angra, onde houve até encontro imediato entre as duas maiores forças partidárias, o que realmente animou a função.

Mas hoje, Domingo do Porto e dia de eleições legislativas, o mote é de todo popular, afinal dá perfeitamente para ir introduzir o boletim de voto na urna, antes de passar a igual função face a algumas iguarias calóricas e a umas quantas "frescas" Super Bock lá mais para as bandas do Norte. A tarde está excelente e a coisa promete, independentemente dos resultados. O "RL" que me perdoe, mas vou votar a dobrar...

26.Set.09

Motores no feminino...

Aspecto da mesa de debate/conversa na sede da UMAR em Angra...

Na passada semana tive o prazer de moderar uma simpática, e bem preenchida, mesa redonda, no âmbito das Noites da Igualdade da UMAR que, desta feita, se debruçou sobre a competição automóvel, convidando para o efeito a mediática e bem sucedida Elisabete Jacinto, famosa pelas suas incursões no todo-o-terreno mundial ao volante de motos e, mais recentemente, de camiões, que se juntou às pilotos locais de ralis Carla Rosado e Diana Coelho. Foi um serão muito bem passado, se bem que a reduzida audiência – causada em parte pelo local escolhido para o certame se realizar – acabaria por tirar algum brilho à conversa em jeito de tertúlia, na qual os presentes acabaram por participar. Com um trato informal, foi naturalmente a piloto do enorme MAN quem mais teve a dizer, mormente pelo palmarés já envergado e pela panóplia de aventuras já vividas em territórios onde – e aqui ressalve-se o tema central do evento… – a igualdade entre géneros está longe de ser sequer uma realidade distante…

Elisabete Jacinto expôs alguns aspectos menos badalados da sua bem divulgada carreira fora de portas, sempre com um gosto visível de partilha das muitas experiências, dentro e fora das competições de todo-o-terreno, onde espera “outros voos possam acontecer” num futuro próximo. Foi agradável e enriquecedor o convívio com a professora de Geografia, que se fez piloto de motos numa opção de transporte do dia-a-a, assim como o relacionamento demonstrado com as nossas pilotos de ralis disse bem da sua simplicidade. A repetir…
Carla Rosado e Diana Coelho, duas caras bem conhecidas dos nossos troços açorianos, sendo que, pela ordem inversa, foram a primeira e a segunda campeã feminina dos ralis regionais, estiveram à vontade com o tema, sendo que a actual condutora de um Citroen Saxo Cup, e recém-vencedora do Rali Ilha Lilás, explanou sobre uma infância vivida em torno dos ralis que resultou em participações regulares já aos 30 anos de idade. Já Diana Coelho, que este ano garantiu novo título feminino, desta feita como navegadora de Raquel Rodrigues, com quem partilha um Skoda Fabia RS Tdi, explicou que “entrou” para o mundo dos ralis um pouco por acaso, mas sempre confirmando que vai sempre mantendo – face aos obstáculos vigentes – um desejo forte de continuar a participar, coisa que já faz há alguns anos, contando com alguns apoios próximos e muita força de vontade. Diferentes cenários foram dados a conhecer, sendo que estes apenas retrataram a face visível da vida de homens e mulheres, os tais que se querem ver viver em igualdade, sendo que para tal, se calhar o certo é mesmo serem respeitadas as diferenças…
 
PS - Para quem tiver curiosidade em saber o que se passou na sede da UMAR em Angra, basta aceder à "TV Azores Global" e visualizar a cobertura que o “Rodas e Motores” deu à iniciativa.

 

Pág. 1/4