Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

PORTO DAS PIPAS

miguel de sousa azevedo - açores

PORTO DAS PIPAS

miguel de sousa azevedo - açores

31.Ago.09

Espaço(s)...

Vista do exterior da Cadeia de Angra...

Há exactamente uma semana, e por motivos profissionais - acompanhava a visita de dois candidatos a deputados na Assembleia da República pelo PSD/Açores -, visitei o estabelecimento prisional de Angra do Heroísmo, ou seja a cadeia, a mesma de que desde sempre passei à porta mpara seguir ao cenro da cidade, pois está situada a cerca de 300 metros da nossa casa, e que confesso me despertou sempre alguma curiosidade. Já não a tenho.

Espaço projectado, e na altura com elogios de ser do melhor em Portugal em termos de estruturas do género, nos anos 50, a cadeia de Angra foi construída para uma lotação de 25 detidos, que se poderiam estender a cerca de mais uma dezena. No dia em que lá estive tinha 65 presos (61 homens e 4 mulheres), sendo que já passou dos cem na ocupação máxima e há uns anos atrás. O novo edifício a construir na Terra Chã, atente-se, terá capacidade para 170 presos fixos.

O espaço é exíguo, completamente aproveitado ao centímetro, velho nos acabamentos, mas impressionantemente limpo, assim como a pacatez parece reinar nos dois pisos com celas de cada lado, na área livre onde seis reclusos/trabalhadores nos cederam a vez de entrar nos seus aposentos, e onde não caberíamos todos certamente, no pequeno "armário" onde dormem quatro mulheres adultas, uma delas senegalesa, na pequeníssima mesa com três cadeiras onde elas comem, no refeitório diminuto onde se alimentam os restantes, nos pátios de paredes altas e aflitiva distância ao sol. Vi algumas caras conhecidas, mas custou-me cumprimentar alguns daqueles homens, muitos deles ali a pagarem por inconsequências da vida, outros com ar certo de que lá voltarão...mal saírem. Poderia estender a descrição de uma das visitas - em tempos de reportagem ou assessoria - que mais me marcou, mas fico-me por aqui. Tal como na cadeia de Angra, não há mais espaço.


 

29.Ago.09

Tempos.

Hoje de manhã reencontrei uma velha amiga. Velha na idade que já leva a nossa amizade, um tanto separada pelas voltas da vida, às vezes assaltada por um destino que nos fez cruzar os passos em paralelo, mas à distância. Nela logo reconheci o olhar que, com cumplicidade, soubemos usar em diversas ocasiões...de uma juventude bem vivida, de uma fase adulta começada tarde, mas com intensidade nas memórias que o tempo leva. Percebi que ambos tínhamos saudades um do outro. As mesmas que se mataram em poucos segundos. 


 

29.Ago.09

Rali Ilha Lilás rumo a nova era...

A mesa de apresentação do 31º Rali Ilha Lilás/Além Mar.

Foto: Ricardo Laureano.

A 31ª edição do Rali Ilha Lilás/Além Mar foi apresentada na noite da passada quarta-feira, contando a sede do Terceira Automóvel Clube com a presença de adeptos e de gente ligada à prova, que será a sexta da temporada açoriana, isto numa altura em que quase todos os títulos estão já entregues, factor que poderá até beneficiar a competitividade do rali.

Abrindo a sessão, o presidente do clube organizador, Gerardo Rosa, realçou “o espírito dos ralis na Terceira”, tomando este “Lilás” o rumo “de uma nova era para a nossa prova mais antiga, agora visando os próximos 30 anos deste rali”, num evento que dedicou “a todos os praticantes da modalidade, os da Terceira e os que nos visitam”, e naquele que é “um desporto sem bancadas, sem bilhetes, mas sempre de lotação esgotada”, sublinhou. Gerardo Rosa revelou que apenas uma das “76 equipas que formalizaram a sua inscrição não estará presente” – no caso o piloto Paulo Costa, da ilha do Pico -, o que não impede esta “de ser a prova com mais participantes de sempre na nossa ilha,com 75 concorrentes, o que muito nos satisfaz e orgulha”, concluiu.

Representando o presidente do governo regional, Sérgio Ávila enalteceu “a organização das provas de automobilismo na Terceira”, classificando-as como “um esforço conjugado de muitas pessoas, ao longo do ano, em prol da modalidade”. Para o vice-presidente do executivo “essa dedicação faz com que os apoios das entidades oficiais se tenham tornado obrigatórios, face a toda a envolvência que encerram as provas”, realçou.

A edil de Angra do Heroísmo, Andreia Cardoso também tomou da palavra na apresentação de mais este “Lilás”, destacando que existe “um conjunto de vontades – e referindo-se ao TAC e aos seus colaboradores – de um grupo que, dentro do mais puro amadorismo, alcança a eficácia dos verdadeiros profissionais em todos os eventos a que se abalança”. A presidente do município reforçou “a vontade da autarquia em apoiar a realização das provas”, relembrando o protocolo – assinado em Abril passado – “Angra em Velocidade”, que permitiu à câmara “apoiar as diferentes equipas do concelho ao nível da obtenção do novo sistema de segurança – o agora obrigatório “HANS”…-, bem como das licenças desportivas”, afirmou.

Quanto aos rosto visível do enorme grupo que põe estas realizações na estrada, Filipe Rocha, novamente assumindo a direcção da prova, começou por endereçar um agradecimento exactamente “a todos quantos apoiam e ajudam na feitura do rali, pois têm estado sempre disponíveis e constituem a garantia do sucesso que se tem verificado”. Quanto à estrutura da prova, que alberga “11 classificativas, num total de 249,64 kms de percurso para 94,41 ao cronómetro” foram apresentados “troços que já são habituais e que foram disputados recentemente, excepção feita à classificativa Porto Martins/Contendas – agora com um novo piso e a prometer a volta das enchentes à bem conhecida curva do Farol…-, numa concepção de rali onde se optou por duas rondas com três troços de manhã, atendendo à vontade generalizada das equipas”, explicou. Filipe Rocha aproveitou a ocasião para destacar “a parte interactiva do rali”, nomeadamente “osite, de grande qualidade, que fornece os tempos em directo, e que permite uma visualização por equipa, assim como uma previsão dos resultados troço a troço, mediante os andamentos de cada concorrente”, esclareceu. Outra novidade a ter em conta será a disponibilização dos tempos para telemóveis, num sistema inédito entre nós e que facilitará acompanhar, a par e passo, o rali.

Como de costume a próxima semana trará às páginas de “a UNIÃO” todas as informações sobre a prova, pelo que só resta ir alinhavando os desejos de (mais) um grande rali…


Campeãs da Madeira no "Lilás"

Isabel Ramos e Carina Barros vão estar na Terceira...

Foto: www.ralismadeira.com

Isabel Ramos e Carina Barros serão uma das seis equipas femininas a marcar presença na prova do próximo fim-de-semana. A jovem dupla madeirense, que se sagrou novamente campeã insular em 2009, volta assim a aventurar-se fora de portas, depois de uma experiência no Rali do Algarve do ano passado, então ao volante de um Citroen C2.
A dupla feminina madeirense ostentará o número 21 nas portas do competitivo Renault Clio R3, uma máquina oriunda – tal como a que será utilizada por Gustavo Louro – das oficinas da “ARC Sport”.

 

1ª ETAPA/1ª SECÇÃO
(6ª Feira , 4 de Setembro)

 

 

Assistência

Kms

20h30m

1ª PE

Litoral 1

3,11

21h00m

 

Assistência

 

21h10m

 

2ª ETAPA/2ª SECÇÃO
(Sábado , 5 de Setembro)

 

 

Assistência

Kms

09h08m

2ª PE

Vila Nova 1

7,72

10h00m

3ª PE

Fontinhas / Serra Cume 1

9,92

10h20m

4ª PE

Porto Martins/Contendas 1

6,81

10h45m

 

Assistência

 

11h12m

 

5ª PE

Vila Nova 2

7,72

12h00m

6ª PE

Fontinhas / Serra Cume 2

9,92

12h20m

7ª PE

Porto Martins/Contendas 2

6,81

12h45m

 

Reagrupamento

 

13h12m

 

2ª ETAPA/3ª SECÇÃO
(Sábado , 5 de Setembro)

 

 

Assistência

Kms

14h10m

8ª PE

Império / Feteira 1

8,74

15h00m

9ª PE

Barro Vermelho / PIAH 1

12,46

15h35m

 

Assistência

 

16h08m

 

10ª PE

Império / Feteira 2

8,74

16h50m

11ª PE

Barro Vermelho / PIAH 2

12,46

17h25m

 

Assistência

 

17h58m

 

Chegada Angra – Praça Velha (18h30m)

 

28.Ago.09

Um blogue de "sapatilhas"...

Uma das várias versões sobre as "vintage" Nike Royal Mid...

Desde sempre fui um apreciador de sapatilhas (ténis, como se diz lá fora...), sendo que preferencialmente uso Nike, embora reconheça que a marca do "Swoosh" tem deficiências técnicas em vários modelos, invariavelmente levando à aquisição de um novo par mais cedo que o previsto...

No topo das minhas preferências está a menos divulgada (entre nós, sublinhe-se...) Mizuno, pendendo ainda o meu gosto sobre a Asics (que mais não seja pelo princípio orienatdor do nome da marca...) e a Adidas, mas sempre salientando que o mercado português absorve poucas das "estrelas" destas companhias, ou então só o faz mediante preços proibitivos.

Hoje deixo aqui a indicação para que sigam o blogue "Sneakers and Shoes" que, embora um tanto "americanizado", e dando demasiado destaque a várias inestéticas "botas" de basquetebol, consegue apresentar modelos actualizados e com boas apreciações. Sublinhe-se que, em caso algum, irei aqui focar os processos de fabrico de nenhum dos fabricantes em questão...ou estaria já a entrar na parte "manca" da caminhada...

26.Ago.09

Afinal a imagem era outra...

Hoje já lá deve estar a lona de volta...presumo...

Fui ontem alertado por um amigo - com responsabilidades no sector - de que a imagem que indiquei como sendo do projecto do futuro/novo hospital de Angra não referente ao vencedor do concurso de construção, concessão etc e tal da unidade em questão, mas antes um dos projectos preteridos que, mesmo assim, lá estava no"linkado" fórum sobre arquitectura.

Ora o mote que me levou ao referido post foi tão só a exibição da imagem definitva do projecto vencedor num outdoor contíguo à localização da futura obra que, incompreensivelmente, desapareceu. Por acaso até recebi um MMS com a dita imagem no dito outdoor mas, e atendendo a que hoje é assinado o contrato que dará início ao processo de construção - e mais aquelas coisas todas... - do futuro/novo hospital, e que além disso não sei reenviar o MMS para o meu email, estou convicto que a deslocalizada imagem deverá reaparecer para nosso agrado.

Ficarei é para sempre com a dúvida de porque se lhe deu o sumiço. E sendo que a obra irá "voar" nos tempos desejados de ter o futuro/novo hospital construído até ao final da legislatura vigente, nem se porá a discussão do que terá então levado à sua exibição - digamos que - prematura...

Pág. 1/4