Miguel Sousa Azevedo

Create Your Badge
Quinta-feira, 30 de Abril de 2009

A hipotética viagem... (crónica)

Ainda no avião...e rumo a novas paragens...

 

Turista de classe média, solteiro, já reformado e – por felicidade – com direito a uma mensalidade que lhe permite ver a velhice com horizontes largos, o que nem todos os seus colegas de vida em trabalho conseguiram. Reside no norte do país e, embora já tenha visitado a Madeira por várias vezes, nunca cruzou olhares com as ilhas de bruma, uma viagem que sempre considerou cara dado que as deslocações entre as diversas parcelas do arquipélago seriam uma “obrigação” para quem quer mesmo conhecer os destinos que elege para lazer. Nove da manhã de uma terça-feira e está no Aeroporto Francisco Sá Carneiro, prontinho para embarcar para a Terceira, pois resolveu começar a ronda - por quatro das ilhas dos Açores - pela que possui a mais antiga cidade, sendo que o facto de Angra do Heroísmo ser património mundial – conforme vai vendo um pouco por todo o país numa bem engendrada campanha promocional – lhe despertou desde sempre a curiosidade. O voo directo, efectuado duas vezes por semana e que vai andado sempre a rondar o cheio, tornou-se uma ponte ocasional para que as gentes nortenhas e da Galiza rumem à terra dos bravos em visitas de prazer descontraído. Os pacotes de 3, 5 e 7 dias têm feito aumentar o tráfego do continente para a terra de Nemésio, agora transformada numa porta de entrada privilegiada, e de onde – qual viagem no tempo das descobertas – os passantes vão embarcando de seguida para São Miguel ou então se decidem a uma volta pelo restante grupo Central, onde novos aromas e paisagens os aguardam. Duas horas e meia depois e está nas Lajes, ali bem juntinho da base americana de cujas andanças sempre ouviu falar, e que hoje se apresenta novamente como um pilar fundamental da economia local, fruto de novos investimentos da administração Obama que potenciaram diversas valências que a comunidade terceirense naturalmente acolheu. Uma aerogare sumptuosa e funcional, onde todos os espaços parecem pensados ao pormenor e onde a circulação de pessoas e máquinas se faz de forma fluida. As paredes ostentam paisagens da ilha e, logo à saída da sala de desembarque, as principais actividades culturais de ambos os concelhos da ilha estão patentes num original expositor. Até o artesanato local se apresenta numa cadência agradável e impossível de não se reter à vista. Pelo caminho até Angra, onde sabe que o aguarda uma estadia de 3 noites no novo hotel da Marina, uma obra exemplar de continuidade na recuperação da baía quinhentista, é surpreendido por uma via rápida onde a interacção da paisagem e do meio parece um desenho de autor, mesmo se uns estranhos viadutos, onde nada passa, pareçam um tanto desenquadrados…e sujos. Entra na cidade património passando um original arco onde os símbolos da Unesco e da ancestral urbe se unem, sentindo-se estar mesmo a passar para outra terra, uma de onde se partia rumo aos mares noutros tempos. Respira-se informação e mensagem na cidade, e até a circulação automóvel se faz de uma forma cuidada, dado que novos parques exteriores ao centro histórico deixam em repouso centenas de viaturas cujos donos optam pelo transporte público por entre a meia dúzia de ruas fechadas ao trânsito. Calçadas brilhantes e casas pintadas de fresco enfeitam o amanhecer tardio de uma Angra onde o comércio abre mais tarde que no resto das ilhas, tudo porque o seu fecho - em horário de Verão - se faz encostado ao jantar, numa cadência lógica para quem habita o espaço ou apenas o visita. Pede ao motorista de serviço que o leve, ainda antes do check-in na reluzente unidade turística, a ver a muito falada estrada circular, uma inovação a nível nacional, onde o encontro de três vias permite passar por Angra ao longe e ao perto, sendo que para isso têm de retornar ao Pico Redondo – um nome curioso, pensa – de onde se avista um grande pavilhão multiusos, de traça atraente e onde – segundo o informam… - diversas mostras têm ocorrido, sem esquecer a vertente agrícola que motivou tal construção. Daí começam a entrar por um outro lado da cidade, passando junto de um enorme hospital, um dos mais modernos do país e elogiado pela administração central dada a sua eficácia, assim como pelo enfoque que deu a uma zona do concelho que passou a ter mais e melhores acessibilidades, daí resultando uma estrada via-Posto Santo – outro nome a anotar, comenta… - que rasga o concelho rumo à zona oeste, numa paisagem sublime onde o verde dá destaque ao mar lá em baixo. Dão uma grande volta para retornar ao já visado centro, mas desta feita entrando pela zona baixa, onde pode testemunhar a habilidade com que as gentes da terra embelezaram as pequenas baías próximas a duas unidades hoteleiras, onde uma ciclovia e passeio pedestre permitem uma interacção pelo mar, assim como em diversos pontos dos acessos ao vigilante monte peninsular que abriga Angra das intempéries. A curiosidade de saber mais destas andanças vai-lhe roendo o espírito e, ao chegar ao dito hotel, tem já à disposição um roteiro – com ementas e tudo…- de onde poderá almoçar e para onde se dirigir nas visitas que fizer de tarde. Deita-se uns minutos, ouvindo o zumbir da cidade, frente a um porto remodelado e onde um leque de cafés temáticos dão corpo a uma gigante esplanada comum com motivos em calçada portuguesa. Retemperante deve ser estar sentado naquele porto, onde duas pipas gigantes marcam o acesso a um passeio que leva a uma grande marina, a que dá nome ao hotel onde está. E onde agora parece passar pelas brasas…recupera da viagem, sabendo que ainda tem outra cidade para visitar, um moderno ferrie para apanhar rumo ao Faial e ao Pico, de onde uma ligação aérea o levará a ilha maior da região…mas esses serão motivos de outras histórias... se é que as vai contar a alguém.
 
Nota: Qualquer semelhança deste desembarque com a realidade bem é mera coincidência. É plena e marcante utopia.

 

publicado por MSA às 03:31
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quarta-feira, 29 de Abril de 2009

The Cure - Boys don't Cry - Live (1996).

publicado por MSA às 18:19
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Terça-feira, 28 de Abril de 2009

Livro.

A arquitectura açoriana num registo de vulto...

Acaba de sair do prelo uma nova publicação do IAC-Instituto Açoriano de Cultura, intitulada História Ilustrada da Arquitectura dos Açores, da autoria do arquitecto e historiador de arquitectura José Manuel Fernandes. A obra insere-se no conjunto de publicações com que aquele Instituto decidiu associar-se à comemoração do 25º aniversário da inscrição da Cidade de Angra do Heroísmo na Lista dos Bens Património da Humanidade da UNESCO em 1983.
O livro traça uma primeira abordagem global no domínio da História da Arquitectura nos Açores e abrange todas as ilhas do arquipélago e os seus dezanove concelhos, desde os primórdios do povoamento até à actualidade, nos vários quadros religioso, militar, civil e doméstico, divididos nos seguintes capitulos:


I – Introdução: Enquadramento e contexto, Geografia e História. Dos séculos XV e XVI aos séculos XVIII e XIX. O tempo de Novecentos
II - As cidades e demais povoações, a sua relação com o território. Evolução e valores urbano-arquitectónicos
III - A arquitectura erudita (militar, religiosa, civil e doméstica). Manuelino e Classicismo, o “Estilo Chão”, o Neo-classicismo e o Romantismo
IV - A Arquitectura popular, urbana e rural
V - Os sécs. XIX e XX – Urbanismo, arquitectura, as transformações e a evolução. Do Romantismo Oitocentista ao Modernismo Novecentista
VI - As arquitecturas, dos anos 1900 aos anos 1970: Ecletismo, Arte Nova, Art Deco, Modernismo, Português Suave, a Arquitectura Moderna dos anos 1950-60
VII – Aproximação da Contemporaneidade: o pós-modernismo e o final do século. A transição dos séculos XX-XXI. Dimensões. Temas, obras e autores.


Neste quadro, o IAC-Instituto Açoriano de Cultura pretende com esta obra colmatar uma lacuna no domínio da Arquitectura nos Açores, apresentando uma ampla sistematização do tema e com ela estruturar um livro com cerca de cento e setenta páginas fortemente ilustrado, que se assumirá como a mais importante referência neste domínio e âmbito geográfico até ao momento publicada nos Açores.



 

publicado por MSA às 22:30
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 27 de Abril de 2009

Burros em alta velocidade...

Eu cá só me pergunto: - E se a moda pega?...

Uma corrida de burros na Rua de São João foi a grande novidade desportiva anunciada para as "Sanjoaninas 2009" o que, e apenas deixo aqui uma pequena nota pessoal, não será provavelmente um acontecimento de monta, face até a outras iniciativas propostas. mas pronto, gostos e desejos todos os têm, pelo que restará - quando muito - ir assitir ao Grande-Prémio dos asnos para ver de que coudelaria afamada será proveniente o vencedor. Até lá, talvez ler a crónica desta segunda do João Rocha, que não foi nada burro na acepcção dada ao evento...

publicado por MSA às 16:32
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Domingo, 26 de Abril de 2009

Fernando Augusto de Sousa.

Nascido a 26 de Abril de 1913, o meu avô-arquitecto faria hoje 96 anos. E, uma vez mais registo, prossegue o adiar de um levantamento metódico de toda a sua obra e intervenção cívica. Ficam as saudades...


 

publicado por MSA às 22:38
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sábado, 25 de Abril de 2009

25 de Abril - 2 parágrafos.

" ...é uma política dominada pela exterioridade. Pela vaidade. Pela leviandade machista... "

 

-Sophia de Mello Breyner Andresen.


 

A cada ano que vai passando sobre a revolução de Abril, a cada ano em que se reforçam os fundamentos que originaram o surdo combate pela liberdade, e a cada ano em que (ainda mais) se idolatra fortemente esta ou aquela personalidade por um acontecimento que já passou - mas que sempre se reinterpreta ao sabor dos tempos -, fico mais longe do que pensam as gentes.

 

Decididamente não entendo esta liberdade à boca cheia sobre a qual não se pode escrever, falar ou cantar o que se pensa sem reparos ou recados do poder instutuído ou dos seus mandantes. Simplesmente essa mesma liberdade não me merece mais do que dois parágrafos e uma citação de brilho, afinal quem a tutela por modo de administração importa-se mais com os dígitos da conta bancária e com a etiqueta das camisas do que com o bem estar das gentes. Das quais já falei duas vezes - nestes dois parágrafos...  

  

Uma imagem ligeiramente adulterada...tal como os fundamentos da revolução dos cravos...

publicado por MSA às 20:54
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Carimbo.

Visado...mas por mim...

publicado por MSA às 03:58
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 24 de Abril de 2009

peixe:avião - A espera é um arame.

publicado por MSA às 10:54
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 23 de Abril de 2009

As notas "soltas" do 28º Rali Sical

Marco Veredas/Tomás Pires, vencedores da Formula 3...

 

A luta incessante pela Formula 3 foi um dos pontos quentes do “Sical”, com Marco Veredas e Tomás Pires a, justamente, alcançarem a vitória, se bem que a concorrência mais forte, no caso de Fernando Meneses e Artur Silva, nunca tenha desarmado. E se o homem do Saxo branco ainda forçou até à derradeira especial (terminando a 2,2 segundos de Veredas), já a sorte nada quis com o jovem valor de São Mateus que, momentos antes de sofrer um violento despiste, terá sido cronometrado com uma vantagem de dez segundos sobre o Saxo vencedor… isto quando, à geral, tinha um atraso de 7,9 segundos face ao comandante! Foram os três inacessíveis aos restantes durante quase todo o rali…
 
Olavo Esteves/Ricardo Coelho, vencedores da Formula 2...
 
Mas nem só na F3 a animação prometia já que, na categoria “acima”, a luta podia ter animado, não fossem o ritmo muito forte com que Olavo Esteves começou a contenda, o atraso inicial de Sandro Andrade - a contas com os pneus e os travões do Punto HGT -, ou a desistência prematura de Cláudio Cabral, Augusto Ferreira e Diogo Silva. Tudo se reuniu então para uma clara vitória do homem da Praia da Vitória, que ganhou definitivamente a “estrelinha” de campeão.
 
Nuno Rocha recebe o seu sistema HANS...
 
No dia anterior ao início do rali a Câmara de Angra presenteou as equipas do concelho com o prometido apoio ao nível do sistema HANS e das licenças desportivas. A iniciativa “Angra em Velocidade”, que teve uma apresentação cuidada a cargo da “Olavo Esteves Competições”, foi destacada pela edil Andreia Cardoso como uma forma de ajudar ao desenvolvimento da modalidade sendo que, na realidade actual, as preocupações regulamentares com a segurança são fundamentais, daí o apoio concedido…e que as equipas bem agradeceram.
 
As três duplas do Team Porto Judeu...
 
O Team Porto Judeu foi uma das novidades do rali, com os pilotos daquela localidade (Francisco Costa, Alexandre Melo e Artur Borges) a exibirem o apoio dado pela junta de freguesia para as licenças desportivas e formando uma só equipa. Depois do sucesso do Team Praia da Vitória, e na mesma prova em que se estreavam as quatro duplas do Team Lagoa/Com Vida, também Vila Franca do Campo marcou presença no Lancer de Pedro Câmara…intitulando-se mesmo como “a nova cidade”…
-O SATA Rali Açores não terá transmissões em directo da estrada através do canal Eurosport, conforme chegou a estar previsto. A prova do GDC, este ano pontuável para o IRC, e que apresenta uma bem recheada lista de inscritos viu alguns pormenores técnicos, e o forte investimento necessário, como impeditivos para que as transmissões fossem uma realidade, conforme já referira a organização, sendo que Sete Cidades e Tronqueira seriam os troços visados. “Apenas haverá cobertura do Parque de Assistência”, disse Anthony Peacock do Gabinete de Imprensa do IRC, confirmando o que o GDC depois avançou em conferência de imprensa.
 
Pois...será assim uma espécie de "Fala Quem Sabe Racing Team"...!
 
No final das verificações técnicas o novo espaço da “First Stop” recebeu uma equipa estreante nas andanças dos ralis. Armados com inúmeros acessórios, entre os quais dois garrafões-extintores, um saco de papos-secos, um molhe de cabeças de alho no retrovisor, uma serra corta-cintos ou um pneu de bicicleta para remediar qualquer furo, os “Fala Quem Sabe” animaram o local com a gravação de parte do episódio da próxima semana, que será dedicado aos ralis. De fato de competição e as habituais botas, Ramiro, Batista e Silveira tripularão (os três!) o Corolla GT de Isaías Costa e pareciam já prontos a “andar”, numa performance onde o comissário técnico João Paulo Rocha se portou à altura entre os três homens da Bica Seca…
 
João Paulo Simões/António Pires e o Clio "Rodas & Motores"...
 
O novo programa “Rodas & Motores”, da TV Azores Global, teve honras de divulgação no Clio de João Paulo Simões e António Pires, que estrearam as cores de apresentação daquele espaço. O carro foi disponibilizado, para o efeito, pela “Olavo Esteves Competições”, dando uma outra visibilidade a um espaço que se espera manter.
 
Mário Lima em plena transmissão da Serra do Cume...
 
A transmissão via-internet da TV Azores Global foi novamente um sucesso. Cerca de 5 mil acessos únicos ao longo do rali premiaram o grande esforço de uma equipa que levou aos quatro cantos do mundo as imagens da prova. Foi possível, para quem não estava com a estrada acessível, ver passar os concorrentes em cerca de 15 locais diferentes, sempre em tempo real e com a classificação comentada e actualizada. Deu trabalho, mas valeu a pena…
 
Ricardo Moura...ou um satisfeito "papá" à chegada do rali...
 
A expressão de felicidade de Ricardo Moura vai-se tornando um hábito a cada vitória, e com esta já vão quatro na contabilidade pessoal do campeão. Mas o pódio de sábado teve uma estreia nos festejos, com a pequena Alice a acompanhar o pai junto do EVO9 “Além Mar”, tendo sido mesmo ela o primeiro “alvo” dos festejos da equipa à chegada ao centro de Angra…
 
Carla Rosado/Marta Areia tiveram uma prova cheia de imprevistos...
 
O Rali Sical terá sido a prova mais atribulada da carreira de Carla Rosado e Marta Areia. As ex-campeãs femininas despistaram-se na primeira do Barro Vermelho, tendo o radiador do Saxo ficado afectado, o que obrigou a “desenrascar” soluções no final da PE para poder rumar à assistência, e tendo daí resultado a queda na tabela, onde em condições normais rodaram sempre muito depressa e dentro dos 20 primeiros. Na segunda passagem pela Vila Nova, um furo hipotecou poderem apanhar Raquel Rodrigues à geral, sendo que a roda mudada acabaria mesmo por “saltar” na Serra do Cume, originando uma busca inglória entre silvas e arbustos…até aparecer um espectador que tinha apanhado a dita umas dezenas de metros mais abaixo!
 
A nostalgia sobre rodas no belo Escort RS de Adelino Sousa...
 
Os dois clássicos em prova eram um regalo às vistas dos aficionados dos automóveis. Tanto o Kadett de Carlos Borges, infeliz desistente já com a meta à vista, como o Escort de Adelino Sousa (na imagem) se apresentavam em excelente forma, sendo que o carro inglês era a novidade, depois de ter passado pelas vitórias com Mário Garcia, posição que acabou por repetir desta feita.
 
Pedro Câmara/Rui Moura com uma boa prestação na Terceira...
 
Pedro Câmara foi uma agradável surpresa no asfalto terceirense. O “show-man” de Vila Franca do Campo vinha rotulado, e todos pensavam que iria andar acima dos limites da estrada. O que se viu foi um piloto muito consciente e em constante aprendizagem dos pisos e troços, a fazer bons tempos, e a quem apenas um azar fatal com a embraiagem do Lancer terá roubado o fecho do Top-5.
 
"Licas" Pimentel, sempre muito saudado na ilha lilás...
 
O regresso de “Licas” Pimentel aos ralis da Terceira foi acompanhado de um andamento muito vivo do veterano micaelense, um homem sempre activo na forma de encarar as provas e de acompanhar as novidades. Na entrega de troféus, realizada – e bem – na sede do clube, o TAC decidiu homenagear o piloto que, como sempre, soube ser agradecido e companheiro das gentes da Terceira…que sempre o receberam com carinho, numa carreira que promete estar longe do fim.
 
Entre os homens dos troféus monomarca a animação não foi muita para a vitória. Entre os Saxo OEC/Auto Avelino apenas Fernando Meneses fez momentaneamente frente (no Litoral) à liderança de Marco Veredas, enquanto no grupo N Rui Rocha seguia isolado. Nos Toyota OEC/Copitu 2 “Toni” Ortins ainda esboçou ser líder, mas um despiste impediu a luta com Teófilo Pires, que venceria sem grande oposição de Paulo Leal. Entre os Clio OEC/Açorlanda, Alexandre Pires pouco andou no regresso à competição, deixando Sérgio Cardoso descansado, e isto mesmo se entre a concorrência tenha havido grandes melhorias de tempos.
 
O reluzente Corolla GT de Jorge Sousa e Adriano Rosa...
 
De entre os VSH presentes no “Sical” era impossível resistir ao aspecto do Corolla GT de Jorge Sousa, um carro a culminar meses de trabalho aturado numa recuperação espantosa. O bom gosto e a qualidade dos materiais eram visíveis, mesmo sabendo que, nas 24 horas que antecederam o rali, o carro japonês “apagou” dois motores, o que obrigou a horas de trabalho árduo para a reconstrução de mais um propulsor de forma a alinhar na prova…onde o Toyota não se coibiu de fazer “calar” mais um 1600…
 
Diogo Silva e Paulo Leal bem se devem ter “benzido” com a escolha do local pelo Clio RS amarelo para perder a roda da frente do lado direito…em andamento! Uma recta onde, felizmente, pneu e jante não atingiram ninguém, assim como o carro francês ficou, pouco depois, pronto a rodar pelos seus meios. Mas lá que foi um susto, foi…
 
Vista do Castelinho, quando o público ainda só "aquecia" lugar...
 
O muito público é uma constante nos ralis terceirenses, sendo que a curva da âncora e a subida da Tercon (troço do Litoral) costumam “esbanjar” em número de pessoas presentes. Na sexta-feira passada o fim de tarde não foi excepção e, mesmo sem contabilidades certeiras, todos diziam ter sido a maior enchente de sempre. Também nos pareceu.
 
E, falando ainda de público, uma nota final para a chegada do rali na Praça Velha. Pese embora a dificuldade de estacionar e o facto de haver espectadores que ficam na estrada até o último carro passar, há cada vez menos gente a ver os concorrentes na sala de visitas de Angra e aquando da festa do champanhe. E o facto é que até as palmas iam faltando à chegada deste “Sical”, deixando no ar se não estará esgotado este modelo de terminar as provas. Já por uma vez propus a arena da Praça de Toiros de Angra como uma hipótese a considerar, mas esta será apenas (mais) uma sugestão…
 
(Fotos: Ricardo Laureano, porto das pipas PRESS e Gab. Imprensa CMAH)

 

publicado por MSA às 13:19
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Correr pela Vida.

"Sideview" do Peugeot de Luís Magalhães...

Depois do projecto "Correr Pela vida" de 2007, Luís Pedro Magalhães entra agora num novo capítulo, com a presença na Copa Peugeot 207 THP em Espanha.
Com o objectivo de passar a mensagem da luta contra o cancro, o piloto que foi já vitima da doença, volta a levar o nome da Liga portuguesa contra o Cancro às pistas, desta feita em Espanha.
Um total de 6 provas em Valência, Jarama, Estoril, Albacete, Jerez de la Frontera e Barcelona serão o destino para 2009. O Peugeot 207 será assistido pela Bastos Sport, o mesmo preparador que acompanhou Magalhães há uma década na Fórmula Ford. Pedro Lamy é o "padrinho" do projecto.
Nesta fase inicial, Luis Pedro Magalhães não possui patrocínios, sendo o próprio a custear as participações e o espaço que a Liga Portuguesa Contra o Cancro ocupa na carroçaria do Peugeot é oferta do piloto à instituição. No entanto Luis Pedro espera ao longo da temporada encontrar apoios que ajudem na concretização do projecto.
Segundo Luis Pedro Magalhães, "A realização do projecto Correr pela Vida foi a forma que encontrei em 2007, após uma fase difícil que ultrapassei, para me ajudar a mim e a muitos outros que, ao verem o meu exemplo, por certo se sentirão motivados a lutar também pelas suas vidas. Decidi que esta mensagem “Vence o cancro” tem de continuar a ser transmitida e eu vou fazê-lo, pois eu tive um cancro e venci-o."

 

publicado por MSA às 11:20
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 21 de Abril de 2009

FQS: Dia de Bola na Bica Seca (2ª parte)

Conforme prometido aqui fica a segunda parte do emotivo Bica Seca/Tramelas iniciado na passada semana. Na etapa complementar do desafio a reviravolta no marcador foi uma realidade imprevisível, mas o facto é que a entrada em acção de Ramiro, Batista e Silveira foi a salvação para os pupilos do Padre Sardinha. Desta feita fiquei-me, auxiliando "mestre" José Eliseu, pelos comentários da partida...e por uma mão cheia de gargalhadas na hora de dar voz a estas imagens...


 

 

 

LINK

publicado por MSA às 12:16
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

O subjectivo da(s) referência(s)...

No jornal "a UNIÃO" (hoje):

 

" A presidente da Câmara de Angra do Heroísmo, Andreia Cardoso, manifestou ontem a esperança de não serem necessários cortes no abastecimento de água durante o Verão, apesar da significativa quebra registada na pluviosidade e no caudal das nascentes ".

 

Na RTP-Açores (ontem):

 

" A Presidente da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, Andreia Cardoso, garantiu hoje que, no próximo Verão, a água não faltará no Concelho ".

 

No jornal "Diário Insular" (hoje):

 

" Um dos furos de captação de água do projecto geotérmico vai ser ligado à rede de abastecimento de Angra. Esta é uma das soluções da autarquia para evitar eventuais cortes de água no Verão ".


 

Ou seja, mediante um mesmo assunto ficamos um pouco sem saber o que de facto foi dito, ou melhor quais as reais intenções da autarquia, sendo que - por princípio - solucionar o problema é a vontade expressa. Agora de que forma o farão é o que se verá, pelo menos a fazer valer a dimensão do que se passou em 2008 e o aparente recurso técnico apresentado ontem. Para já o método de previamente publicitar (de forma quase efusiva...) o arranque da obra e o montante a investir, num dos jornais aqui citados, foi a grande novidade...

 

Novidade na verdadeira acepção da palavra...ou da(s) referência(s)...


 

publicado por MSA às 11:56
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 20 de Abril de 2009

28º Rali Sical (Resumo RTP-Açores)

 

 

LINK


 

publicado por MSA às 23:04
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Moura "à campeão" no Rali Sical!

A comemoração da vitória para Ricardo Moura e Sancho Eiró...

Fotos: Ricardo Laureano.

 

A festa dos ralis teve ponto alto durante o fim-de-semana, com a 28ª edição do “Sical” a fazer rumar milhares de espectadores às estradas terceirenses, numa prova concreta da popularidade deste desporto, e fazendo sobressair ainda mais a vitória dos campeões açorianos Ricardo Moura e Sancho Eiró, dupla que esteve incólume e eficaz a 100% ao longo das nove PE’s, demonstrando todo o seu valor e garantindo um arranque ganhador no campeonato onde o “bi” é objectivo assumido. Liderando deste o início, se bem que nos 3110 metros do Litoral de Angra Gustavo Louro tenha igualado a sua marca, o homem do Team Além Mar viu-se numa situação privilegiada logo na primeira PE de sábado, quando Louro furou, perdendo mais de 40 segundos, e logo hipotecando as aspirações de lutar pela vitória. Mas o certo é que Moura nunca desarmou, dando um grande espectáculo de condução, se bem que sempre gerindo da melhor forma o avanço ganho em Império/Feteira-1. Foi a prova cabal de duas realidades, a de que Ricardo Moura é o valor mais firmado do panorama açoriano na actualidade e a de que Gustavo Louro faz muita falta ao campeonato, afinal a aposta no Subaru Impreza da “ARC Sport” ainda valeu vitórias em classificativas e um andamento muito consistente a que só a falta de alguma potência terá posto travão. Grandes provas de dois grandes pilotos. No mais baixo do pódio um dono certo: Ricardo Carmo. Com o EVO9 mais competitivo, desde cedo o piloto viu que o duo da frente era inacessível - mesmo se passou pela segunda posição enquanto Gustavo andou atrasado -, mas acabando ainda assim por recolher preciosas informações da renovada máquina com que nunca cometeu excessos. Regressado um ano e meio depois, e mostrando que as qualidades não se perderam, Luís Pimentel ainda ameaçou Carmo, mas a parte da tarde começou com nevoeiro e algumas hesitações custaram segundos preciosos. A melhor luta da prova travou-se ao nível da Formula 3, onde Marco Veredas nunca teve descanso, já que Fernando Meneses e Artur Silva foram oposição aplicada e muito batalhadora, sendo que o jovem do Saxo preto acabaria com um aparatoso “voo” na zona do Quinhão Grande (corria-se a PE7, e o acidente valeu 40 minutos de atraso no rali…) e danos avultados na máquina francesa, e Meneses deu tudo por tudo até ao “photo-finish”, sendo que apenas 2,2 segundos o separaram do lugar de vencedor onde, imperial e muito consistente, Marco Veredas voltou a provas qualidades de campeão. Realce para as provas de Sérgio Silva, novamente com alguns problemas sentidos, e Carlos Costa, ultrapassado pelo Peugeot do Team Lagoa Com Vida já com a meta à vista. Hermano Couto foi um muito positivo sétimo na frente dos dois micaelenses, enquanto o debutante Luís Miguel Rego fechava os dez primeiros, batendo com um forcing final um eficaz Nuno Rocha, para quem o Saxo Cup nunca foi a arma desejada. César Silva acabou bem próximo do homem da Auto Avelino, batendo ainda assim o Lancer EVO8 com que José Pedro Silva se apresentou ao volante no Sical’2009.
Na Formula 2 o cenário foi sempre o mesmo ao longo do rali, com Olavo Esteves a dominar os acontecimentos com boa margem de avanço. O piloto do Clio “Praia da Vitória” apenas teve alguma oposição no primeiro troço da manhã, onde Sandro Andrade pareceu esboçar reacção, mas problemas no Punto e uma condução agressiva q.b. de Olavo fizeram a receita final cifrar-se em 1m10s de diferença entre ambos. No mais baixo do pódio João Faria foi testando o novo Peugeot 206 RC, nunca se chegando ao topo da tabela, mas prometendo mais evoluções daqui para a frente.
Na classificação dos Troféus Clio e Yaris/Starlet o domínio foi sempre exercido por pilotos do Team Praia da Vitória, com Sérgio Cardoso a ser o melhor dos carros franceses, na frente de João Paulo Simões e de Francisco Carreiro, e Teófilo Pires a bater Paulo Leal – ambos ao volante de Toyota Yaris – e o piloto faialense Nuno Oliveira.
Nos Clássicos dois belos carros alinharam à partida, com Adelino Sousa a ser o mais afortunado ao exibir na Praça Velha o bonito Escort RS Mk1 com que se sagrou vencedor de um rali de festa, onde o público da Terceira pôde apreciar uma prova com excelentes índices de competitividade e eficácia organizativa por parte do Terceira Automóvel Clube.
 
Classificação Geral (CAR)
 
VSH: Marco Pinto dominador
 
Marco Pinto, o melhor entre os não-homologados...
 
A prova reservada às viaturas sem homologação teve um vencedor incontestado no piloto picoense Marco Paulo Pinto. O homem do Peugeot 205 GTI venceu todos os troços e terminou com uma confortável vantagem sobre Marco Sousa, provando não ter – para já – adversários à altura neste inicio de temporada. O carro amarelo não deitou por terra as apostas feitas e confirmou o que se esperava antes do rali. No segundo posto, e estreando nova máquina, marco Sousa foi “aprendendo” o potente 309 GTI ex-Mário Garcia e, mesmo com alguns problemas de caixa, nunca se incomodou com os restantes conjuntos em prova. A fechar o pódio o VW Golf GTI de Ricardo M. Moura, piloto que teve na transmissão do carro alemão o grande óbice a uma melhor prestação. José Vieira foi recuperando posições até chegar ao quarto lugar final, sendo o Tpo-5 encerrado por Paulo Veredas, desta feita mais eficaz que em outras alturas. Onze conjuntos terminaram o difícil desafio com a melhor equipa feminina a ser a de Mariana Godinho/Raquel Pinheiro em Renault Clio.
 
Classificação VSH (CRRA)

 

publicado por MSA às 21:57
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 17 de Abril de 2009

Armindo Araújo..."on-board".

Em dia de rali nada melhor do que apreciar a mestria de Armindo Araújo cumprindo, sempre e só com uma mão ao volante, a derradeira super-especial do Rali de Portugal, prova em que foi um brilhante vencedor no agrupamento de Produção, categoria que lidera no Mundial. Vale a pena ver!


 

publicado por MSA às 10:52
link do post | comentar | favorito

“On your marks, get set…!”

Ricardo Moura/Sancho Eiró, grandes candidatos a nova vitória na Terceira...

 

Quando, ao final da tarde, o Ford Escort Mk1 de Adelino Sousa arrancar do Clube Náutico de Angra, estarão lançados os dados para o campeonato açoriano de ralis em 2009, uma competição que tem em Ricardo Moura a grande atracção, sendo que o campeão em título apresenta quase a “obrigação” de revalidar o ceptro, dadas as forças em presença e a eficácia que já demonstrou possuir em quaisquer condições. Dessas o destaque natural é para Gustavo Louro, que tudo tentará com o já ultrapassado Impreza N11, assim como Ricardo Carmo vai querer brilhar com o renovado EVO9. A luta para o pódio está assim pré-estabelecida, incidindo grande parte do interesse do rali também nas lutas das Formulas 2 e 3. Ainda nos 4x4 a expectativa aponta-se aos nomes de Luís Pimentel, Pedro Câmara e Hermano Couto, sendo ainda incógnitas os andamentos a imprimir por José Pedro Silva e Luís Miguel Rego, assim como o de Miguel Soares. Na F3 há muita gente com motivos de vitória e apta à sucessão de Carlos Costa, que vai estrear um novo carro. Sérgio Silva e os “mosqueteiros” da Terceira – Fernando Meneses, Marco Veredas, Artur Silva e Nuno Rocha -, assim como o S1600 de Fernando Casanova e o GT de Bruno Amaral prometem falta de ar na hora de aferir resultados, Na F2 é Olavo Esteves quem passeia a coroa, mas a luta pela vitória terá de levar também em conta o rápido Sandro Andrade ou o outro Clio de Cláudio Cabral. Em liça estarão ainda os três Troféus da ordem (Saxo/Auto Avelino, Clio/Açorlanda e Yaris-Starlet/Copitu II) promovidos pela Olavo Esteves Competições, e cujas incertezas apenas apimentam uma prova onde, habitualmente, o doce do café tem levado vantagem nos sabores. Equipas femininas serão duas em cada escalão (CAR e VSH) com a inevitável Carla Rosado a mirar a luta dos homens para brilhar com o Saxo. Também nas pequenas cilindradas a animação não será factor em falta, antevendo-se uma luta interessante do Micra de Carlos Martins com as restantes máquinas A/5. No reino dos não-homologados a estreia de Marco Sousa no 309 GTI “bi-campeão” terá de fazer frente ao Golf GTI de Ricardo M. Moura e, acima de tudo, ao potentíssimo 205 GTI do “picaroto” Marco Pinto. Nesta categoria atenção ainda para as belas imagens que prometem os Corolla GT de Isaías Costa e Jorge Sousa, bem a lembrar os tempos mais recuados de uma festa que cresce sempre na Terceira. A estrutura do rali assenta, quase toda ela, em percursos bem conhecidos e fáceis de reconhecer, estando agora a “bola” do lado dos concorrentes pelo que, e repetindo o “inglesismo” do título, “on your marks, get set…GO!!!”

 

(Site oficial da prova aqui)


 

publicado por MSA às 09:30
link do post | comentar | favorito

É a fundo, Licas!

A preparar-me para "mergulhar" no bonito Impreza N12...

 

Não foram mais de quatro minutos o tempo que estive em andamento, esta quarta-feira, na “bacquet” do lado direito do Subaru Impreza N12 de Luís Pimentel. Aproveitando um pequeno teste que fez no início do Fonte Faneca/Veredas, o regressado piloto micaelense permitiu-me assim aferir das qualidades impressionantes do carro nipónico, rodando muito à vontade num traçado que conhece bem e onde tentava encontrar as afinações ideais para a melhor toada possível no rápido percurso de amanhã. Das duas passagens efectuadas tenho de destacar o equilíbrio impressionante do Impreza “by Tommi Makinen Racing”, especialmente em zonas onde – à primeira vista – não imaginamos que se passe a fundo! Uns travões fabulosos e a entrada em acção rapidíssima do potente motor são factores a ter em conta, naquele que foi um excelente “aperitivo” para melhor apreciar o trabalho de pilotos e navegadores na estrada. Obrigado ao “Licas” e boa sorte para o “Sical”, prova que ele – como bem diz – corre “praticamente” em casa…

Mais uma experiência que valeu a pena. Obrigado, Licas!

 

publicado por MSA às 09:24
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 16 de Abril de 2009

“Sical” em directo na internet.

www.azoresglobal.com

 

Pelo terceiro ano consecutivo a primeira prova do campeonato açoriano terá transmissão em directo através da internet…e novamente com imagens em tempo real das equipas em plena competição. Uma vez mais a “Azores Global TV” levará a todo o mundo o movimento dos troços terceirenses, também com apontamentos de reportagem nas alturas em que os principais intervenientes do rali estejam entre secções. Assim, e clicando em www.azoresglobal.com, poderá acompanhar a prova, numa emissão contínua dirigida pelo Francisco Faria, onde vou comentar as imagens das diversas equipas da “Azores Global”, que levarão ao seu computador as emoções do “Sical’2009”.

 

 

publicado por MSA às 17:27
link do post | comentar | favorito

"Angra em Velocidade", hoje no TAC

A festa dos ralis começa hoje á noite...

Hoje à noite os ralis são o mote para mais um convívio da comunidade motorizada na Terceira, onde já estão também todos os intervenientes do Rali Sical, prova que abre o calendário oficial dos Açores em 2009. Numa iniciativa promovida pela “Olavo Esteves Competições”, a câmara municipal de Angra do Heroísmo vai proceder à entrega dos apoios agendados para as equipas que representarão o concelho na estrada, e que incidem principalmente na disponibilidade para a utilização do sistema HANS (Head and Neck Support), um dispositivo de segurança que, a partir de meio do ano, passará a ser obrigatório em todo o país. Com isso inicia-se o projecto “Angra em Velocidade”, que terá então a sua apresentação oficial.

Mas nem só sobre o HANS e o rali vai correr a festa, pois a presença confirmada dos três lavradores dos “FALA QUEM SABE” será certeza de boa disposição, aguardando-se o que terão para dizer sobre a modalidade. Bem a tempo está ainda o alinhar das apostas para o rali, e nada melhor do que fazê-las no ambiente acertado. Esse, hoje à noite, estará certamente na sede do Terceira Automóvel, a partir das 21h00…

 

publicado por MSA às 17:22
link do post | comentar | favorito

Do "Sical" às recordações... (crónica)

A estreia de Nuno Rocha, ao volante de um Seat Marbella (1998)...

A imagem que ilustra este texto tem uma mensagem inclusa e que, penso eu, será de fácil compreensão. Retrata o dia da estreia em competição de um dos nossos talentosos pilotos, no caso o Nuno Rocha (já agora, tripulando um Seat Marbella, corria então o ano de 1998…), numa prova que até nem lhe correu bem mas onde ficou bem presente o gosto com que se iniciava nestas lides. No caso do Nuno ao volante, no caso de algumas centenas de pessoas ao lado da organização, no caso de uns outros tantos milhares em cima das paredes ou junto à estrada, mas com um mote comum: estar nos ralis, o desporto da paixão de tantos nesta Terceira. Pegando no caso particular do Nuno Rocha, sem dúvida um dos concorrentes que tudo vai fazendo para marcar presença nas provas e, sem floreados, para ajudar quem as põe de pé, vêm-me à memória mãos cheias de outros exemplos de como o amor à causa pode mover castelos, sendo que a raiz comum desta mensagem – já meio-escancarada pelas palavras – é do gosto que esta modalidade desperta nos seus adeptos. E o Rali Sical é um caso paradigmático disso, dada a sua longevidade – com os 28 anos a “ameaçarem” já a chegada a “trintão” – a provar a eficácia de se promoverem imagens e marcas através destes eventos, uma coisa que grande parte do tecido empresarial nunca entendeu, assim como se fundamenta que os Açores, e neste caso a Terceira, ultrapassam a sua fronteira geográfica com a difusão destes certames mundo fora. E acreditem que há quem, pelas bandas de Mortágua ou da Póvoa de Varzim, sabe com pormenor o que se passa em cada uma das PE’s corridas na terra dos bravos. No plantel para 2009, e deixando de lado as costumeiras nostalgias a que a evolução contrapõe com tempos e recordes de arrepiar, há um claro candidato ao título açoriano, centrando-se as dúvidas nas categorias “auxiliares”, que bem prometem pelo espectáculo. Mas não seria também assim durante os “reinados” de “Larama”, Horácio Franco, “Licas” Pimentel, Gustavo Louro e, mais recentemente, Fernando Peres? Claro que sim. E os ralis esmoreceram? Claro que não…

Independentemente de haver pilotos e máquinas já talhados para brilhar e vencer, e sabendo-se que o factor mecânico é de vital importância nestas coisas, tudo se prepara para uma grande prova, onde a emotividade e a competição vão abrir, da melhor forma, as portas à nova temporada, esquecendo-se por momentos a propalada crise financeira. Com ou sem vencedores antecipados, são assim os ralis. E é por isso que gostamos tantos deles…

 

 

 

PS- Um dia destes, por 2009 fora, passarão precisamente 30 anos desde que vi, ao vivo e com lembrança clara, um troço de rali pela primeira vez. Um São Brás/Fontinhas de um Rali BCA de há muito tempo. E vou sempre para a estrada com o mesmo gosto.

publicado por MSA às 17:19
link do post | comentar | favorito

14h30: Antevisão do Rali Sical no RCA.

Fernando Pereira, o Jorge Silva e eu à conversa sobre o 28º Rali Sical...

Como de costume, e de há três anos a esta parte, o Rádio Clube de Angra convidou os dois jornalistas da imprensa escrita local que tratam dos ralis na Terceira para antever o “Sical”, deixando ainda algumas notas sobre o que poderá ser o campeonato açoriano da modalidade em 2009. Assim, Jorge Silva (Diário Insular), e eu próprio (a UNIÃO e RTP/Açores), estaremos daqui a pouco (14h30 nos Açores) na antena da “Voz da Terceira”, para uma entrevista de Fernando Pereira, onde se poderão “descobrir” mais algumas coisas relativas ao rali do café. O programa pode também ser ouvido online no site da estação.


 

publicado por MSA às 14:28
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 15 de Abril de 2009

Fé.

Allez Porto Allez!

 

O cachecol não está no pescoço, mas fica aqui em sinal de apoio...e de ansiedade! A fé do Dragão resiste sempre.


 

publicado por MSA às 11:43
link do post | comentar | favorito

Hoje: Ralis no "Estação de Serviço".

Os ralis vão estar no "Estação de Serviço" de hoje...

 

A 28ª edição do Rali Sical e o início do campeonato açoriano servem de mote ao “Estação de Serviço” de hoje (18:45), na RTP-Açores. Com apresentação do jornalista Nuno Neves, o programa terá como convidado o colaborador de “a UNIÃO” Miguel de Sousa Azevedo e, como habitualmente, a emissão estará aberta ao público em geral que poderá questionar os intervenientes e dar voz às suas opiniões.

 

 

PS-Acima está a "nota" que divulga a minha presença, a convite da RTP-Açores, no programa desta tarde. Aqui fica registado o premeditado anseio de quem vai passar a primeira parte do F.C. Porto/Manchester "fechado" no estúdio e sem poder "puxar" pela equipa do coração. Ao menos que haja participação ao programa...e um golinho azul-e-branco antes do intervalo!


 

 

publicado por MSA às 11:34
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

O Renault 5 que andou-para-trás!

Alexandre Soares (navegador), o Renault 5 1.1 e Paulo Lourenço (piloto)...

Passaram-se já duas décadas sobre a oitava edição do Rali Sical, edição ganha por José Eduardo Silva e Alberto Jorge, ao volante do potente Renault 11 Turbo-grupo A que, na altura, bateram Joaquim do Carmo, também num 11 Turbo, e Carlos Costa “filho” no saudoso Opel Ascona 400. A caravana desse rali incluía uma dupla em estreia, exactamente Paulo Lourenço e Alexandre Soares, que tripulavam um pequeno Renault 5, e que haveriam de fazer história logo na classificativa inicial da prova, no caso a versão original dos Caneleiros.

Chegados à partida da PE, e sendo que eram o último carro na estrada, um ruído na caixa de velocidades indicou o pior, ficando o R5 encravado em marcha-atrás e deixando desanimados os dois amigos e vizinhos da Rua de Santo Espírito. Mas, e como nos ralis o improviso é lei, “toca” de dar a volta ao carrito e avançar troço fora…mas com a traseira a abrir caminho! E assim foi, perante o olhar perplexo de muitos espectadores, que a dupla cumpriu a primeira tirada da prova, da qual se iria classificar em 13º e último lugar, acabando por ser a eficaz equipa de assistência da Açorlanda a resolver a questão. Passado tanto tempo desconfio que nenhum dos presentes no episódio esqueceu a façanha, assim como o Paulo Miguel não estaria à espera da referência à mesma. Pois é, o tempo voa!

 

publicado por MSA às 11:26
link do post | comentar | favorito

Fernando Meneses "vê" troços do 28º "Sical"...

Fernando Meneses foi o "olheiro" de serviço para "a UNIÃO"...

A dois dias de se iniciar mais uma edição do Rali Sical trazemos, como habitualmente, uma visão abalizada do traçado escolhido para a prova do TAC, sendo que o figurino é em todo idêntico ao do “Lilás” de 2008, apenas com duas alterações motivadas por obras em curso. Para revelar o que pensa sobre cada uma das classificativas nada melhor do que um homem que conta por vitórias as duas saídas de 2009: Fernando Meneses, o recente vencedor do Circuito do Carnaval e do Rali de Inverno (Pico), e justamente apontado como um dos candidatos a vencer na Formula 3.
 
PE 1 - LITORAL
Asfalto – 3,11 Kms
Recorde: Fernando Peres/José P. Silva
Mitsubishi Lancer Evo IX – 2’33’’2 – 2008
 
PE1 - Litoral
 
É um troço onde habitualmente consigo bons resultados, sendo que adoro conduzir na parte de calçada, onde o desafio de manter o carro com aderência é constante. Depois há a própria envolvência do troço, com todo aquele público a puxar pelos concorrentes, imensos “flashes”, e um ambiente em que apetece mesmo dar espectáculo o que, inevitavelmente acaba por acontecer. É uma verdadeira super-especial…”
 
PE 2 e 4 - IMPÉRIO/FETEIRA
Asfalto – 8,74 Kms
NOVA VERSÃO
 
PE 2 e 4 - Império/Feteira.
 
O Império/Feteira é um troço marcado por duas rectas bastante grandes e muitas lombas sobre curvas, o que leva a ter de se acertar muito bem as trajectórias já que, sendo um troço com zonas bastante rápidas, qualquer mínimo erro que se cometa pode resultar no final da prova. Acredito que, com piso seco, as médias vão ser muito altas.”
 
PE 3 e 5 - BARRO VERMELHO/PIAH
Asfalto – 12,46 Kms
NOVO
 
PE 3 e 5 - Barro Vermelho/Parque Industrial.
 
Trata-se de um troço longo e bastante exigente em termos de condução, onde as constantes mudanças no tipo de asfalto levam a que se tenha muita atenção, já que as condições de aderência são imprevisíveis. Dentro de um mesmo troço há zonas muito limpas que alternam com outras mais escorregadias, obrigando a um acerto constante do tipo de condução. Tem vários ressaltos e mudanças de ritmo, também.”
 
PE 6 e 8 - VILA NOVA
Asfalto – 7,72 Kms
Recorde: Fernando Peres/José Pedro Silva
Mitsubishi Lancer Evo IX – 4’28”6 – 2007
 
PE 6 e 8 - Vila Nova
 
É um troço complicado quando se necessita de recuperar tempo, pois assenta em zonas rápidas e travagens algo fortes para curvas fechadas. Uma vez que já toda a gente o conhece bastante bem, acaba por ser um troço onde nem se perde nem se ganha muito, sendo os tempos normalmente bastante semelhantes entre si.”
 
PE 7 e 9 - SÃO BRÁS/LAGOA DO JUNCO
Asfalto – 14,70 Kms
Recorde: Ricardo Moura/Sancho Eiró
Mitsubishi Lancer Evo IX – 8’39”0 – 2008
 
PE 7 e 9 - São Brás/Lagoa do Junco.
 
Neste o caso já muda de figura, e posso até referir que é a classificativa de que gosto mais no traçado. É o troço onde as condições climatéricas (nevoeiro, chuva) podem fazer mais diferença e, sendo o mais longo do rali, engloba partes muito rápidas e algumas zonas perigosas, necessitando de muito motor no início, mas também de muita garra na parte que desce a Serra do Cume, zona onde se fazem normalmente grandes diferenças. Como é o último troço do rali será decisivo, além de que a sua extensão obriga a que se ataque em ambas as passagens, pois é uma aposta obrigatória da prova.”

 

publicado por MSA às 11:19
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 14 de Abril de 2009

Na última página do D.I. de hoje...

MIGUEL AZEVEDO, COMENTADOR DE RALIS

 

As pessoas da Terceira "sabem" ver ralis

 

Uma vez que o site do jornal é pago, aqui se reproduz - tal e qual - a peça...

 

O Rali Sical vai para a estrada sexta-feira. Quais os principais atractivos que releva da edição deste ano?
 
Do rali, e para além da data festiva que sempre significa para os terceirenses – que considero dos melhores aficionados da modalidade no nosso país, talvez apenas comparáveis às gentes de Fafe, Famalicão ou Penafiel… -, cuja terra simplesmente “respira” os automóveis por estas alturas, adivinho uma prova altamente competitiva, embora com um candidato natural à vitória, o Ricardo Moura, sendo que as condições meteorológicas ou até a gestão pontual de um campeonato no seu início, possam resultar em luta pela vitória, sendo incógnitas maiores o que valerá o Subaru a tripular pelo Gustavo Louro ou o resultado das evoluções no automóvel do Ricardo Carmo. Prevejo que a Formula 3 seja a parcela mais animada do rali, com uma mão cheia de pilotos a poderem vencer ou mesmo fazer estragos a um nível elevado da tabela, e também a Formula 2 terá muitos motivos de interesse. Mas o realce principal deste evento é mesmo a sua longevidade pelos anos, uma prova concreta de que a modalidade tem retorno garantido e de que a Terceira é o único sítio de Portugal onde uma marca de café é bem mais do que o que está na chávena…
 
Que pilotos podem surpreender nesta prova?
 
Não se poderá falar em surpresas, mas certamente que homens como Fernando Meneses, Marco Veredas ou Artur Silva serão autores de prestações muito interessantes, embora se possam também destacar as estreias no asfalto do Pedro Câmara, um piloto naturalmente rápido, e do jovem Luís Miguel Rego, o José Pedro Silva que alinhará ao volante, as prestações aguardadas dos Citroen C2, para além do regresso do “Licas” Pimentel.
 
Os ralis são um desporto que têm vindo a desenvolver-se na ilha nos últimos anos. Em sua opinião, a que se deve este interesse?
 
Os ralis sempre foram uma modalidade muito vincada na nossa ilha, e a prova disso é que qualquer espectador está por dentro das lutas, dos nomes, das máquinas e das principais novidades, ou seja as pessoas na Terceira “sabem” ver ralis, o que até se traduz num bom comportamento quase generalizado do público. O desenvolvimento mais recente deve-se essencialmente à taça de ralis, uma feliz iniciativa do Olavo Esteves, que permitiu um acesso a baixos custos a provas com muito interesse e extremamente bem estruturadas, o que já resultou na passagem de vários desses nomes para os ralis oficiais, para além da própria evolução da taça em si que, como se sabe, até irá à Graciosa este ano.
 
São Miguel acolhe este ano o IRC no SATA Rali Açores. De que modo pode essa inclusão revelar-se positiva para a visibilidade da região?
 
Será, sem dúvida alguma, o maior cartaz turístico dos Açores nos últimos tempos sendo, apesar do forte investimento, irrisórios os valores monetários inerentes ao acontecimento se tivermos em conta o retorno que vão produzir. Será uma oportunidade, se calhar única, pois a rotatividade de provas é uma certeza neste campeonato, de termos um leque de grandes pilotos e grandes máquinas entre nós. E nem falo nas distâncias inter-ilhas pois, com ou sem barcos a navegar, a caravana terceirense nos troços de São Miguel será considerável.

 

publicado por MSA às 17:23
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

FQS: Dia de Bola na Bica Seca (1ª Parte)

Aqui fica mais um episódio dos "Fala Quem Sabe", o quarto desta nova temporada e mais um em que tive o prazer de participar. Trata-se de um jogo de futebol, no Estádio da Bica Seca, onde os contornos da partida não serão, de todo, normais.

Refiro que fiz de repórter de campo, acudindo às chamadas do locutor "oficial", papel desempenhado pelo José Eliseu Costa. Para esta semana fica a primeira parte do encontro. Na próxima segunda-feira (a seguir ao Telejornal) há mais...ou há o resto do prélio, com a reviravolta inesperada nas triangulações e deambulações das equipas do "F. C. Bica Seca" e do "Tramelas F.C."...


 

 

LINK

publicado por MSA às 16:55
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

À espera do carteiro...

O "Piloto", com ar atento e à espera de novidades...

Costuma dizer-se que o carteiro "bate sempre duas vezes", coisa que não precisará de fazer o funcionário dos CTT que se abeirar da casa do nosso amigo "RL" em Santa Bárbara.

Com efeito, e cumprindo à letra a sua função de guarda à bem arranjada moradia, o "Piloto" está atento a ver se chegam cartas com novidades para o dono-fotógrafo. Já agora, este "Piloto" é um bem cuidado Barbado da Terceira, possivelmente o único que teve direito a foto no jornal quando fez um ano de idade. Já lá se passaram mais uns tempos, mas o "Piloto" continua um cachorro jovem e bem disposto...deve ser da(s) convivência(s).

publicado por MSA às 01:02
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 13 de Abril de 2009

Veredas "by Jiggy"...

Marco Veredas/Tomás Pires (Citroen Saxo Cup).

Foto: Pedro Costa/Fotaçor 

 

Umas horas depois, e pela madrugada dentro, foi tempo de se “destaparem” os novos tons do Citroen Saxo Cup de Marco Veredas e Tomás Pires. Na animação diversa da “Jiggy Club”, o pequeno carro francês – vencedor da Formula 3 no “Sical” de 2008 – misturou-se com a alegria da casa…e a equipa garante um andamento muito vivo já a partir desta sexta-feira…

 

publicado por MSA às 23:55
link do post | comentar | favorito

Subaru na noite...

O Impreza de Tiago Azevedo na noite de Angra...

Foto: porto das pipas PRESS

 

Na quinta-feira à noite Tiago Azevedo e Miguel Melo aproveitaram a “onda” do Rali Sical para apresentarem ao público o Subaru Impreza com que estão a disputar a Taça de Ralis Ilha Terceira e o Campeonato de Ralis do Pico. No “Copos & Companhia” o bólide nipónico até acompanhava a tranquilidade espelhada na baía da cidade, mas deixando antever que esta semana os motores vão “roncar” bem alto para aqueles lados…

 

publicado por MSA às 23:53
link do post | comentar | favorito

-“Mais um café com rali, por favor…”

Aspecto central da mesa na apresentçaõ do 28º Rali Sical...

Foto: Ricardo Laureano.

 

Foi na passada quinta-feira, e perante uma vasta audiência, que o Terceira Automóvel Clube apresentou à comunicação social a 28ª edição do Rali Sical, exactamente a prova que vai abrir as hostilidades no campeonato açoriano da modalidade este ano. O rali vai para a estrada na próxima sexta-feira e merecerá nestas páginas a maior atenção mas, e como é da praxe, a sua apresentação é sempre o primeiro acto formal do certame, pelo que o destaque tem toda a razão de ser.
“Aqui estamos, uma vez mais, prontos para o mítico Rali Sical”, disse o presidente do clube terceirense, Gerardo Rosa, que novamente frisou ser o Sical “o mais antigo rali português com a mesma denominação comercial”, situação com a “inteira responsabilidade da Açoral – o agente local da marca –, que sempre tem acreditado no clube e na prova”, referiu, agradecendo também o envolvimento das duas autarquias da ilha nos ralis, assim como de todas as entidades oficiais que colaboram com o TAC, destacando mesmo a junta de freguesia do Porto Judeu que “para além de apoiar três equipas da localidade está, à sua conta a limpar os troços da zona do Barro Vermelho”, explicou. Salientando ainda o orgulho de “numa altura dita de crise, termos uma lista com 70 equipas”, Gerardo Rosa dedicou este Sical “a todos os pilotos e navegadores que trabalham para marcar presença neste desporto”.
E foi com esse mote que Joaquim do Carmo, o primeiro vencedor de um “Sical”, e actualmente rosto incontornável do continuado apoio da multinacional Nestlé, se referiu “à paixão pelos ralis como o motivo que originou esta ligação tão longa”, deixando em aberto “a continuidade da parceria”.
Em representação do executivo regional, a delegada do turismo na Terceira, Verónica Bettencourt, reiterou o desejo de ver chegar “o Rali Sical às 30 edições”, assim como garantiu que “o TAC pode continuar a contar com a ajuda do governo açoriano” para as suas manifestações desportivas. E aqui deixa o jornalista em aberto a questão de os pilotos de rali não serem tidos sequer como atletas menores nos Açores, uma questão que – e sublinho… - a nossa descontinuidade geográfica já obriga a revisão há tempo demais…
Filipe Rocha foi quem fechou a contenda, iniciando a sua intervenção por lembrar que as verificações técnicas do “Sical” já não vão contar com a supervisão de Nelson Guimarães – substituído por Adriano Pontes -, facto que motivou larga ovação na sala, mormente “pela entrega do comissário técnico, agora retirado, a este desporto”, disse o director de provas do TAC. De seguida resumiu o esquema escolhido para a prova – em tudo semelhante ao do Lilás de 2008 -, destacando a abertura de sexta-feira , “com o ex-libris dos ralis na Terceira que é o troço do Litoral”, e descrevendo depois, um a um, os restantes quatro percursos que compõem o Sical’2009. Filipe Rocha realçou “a disponibilidade sempre presente dos mais de 70 colaboradores do TAC” para se pôr uma prova “com muitas exigências e trabalho” na estrada, fazendo depois o natural apelo “ao público terceirense, que adora os ralis, para que se comporte da melhor forma possível, acatando as indicações da organização e da PSP”, de modo a que “estes dias, que são sempre de festa, corram pelo melhor e em prol de uma prova bem disputada mas com plena segurança”, concluiu.


1ª ETAPA/1ª SECÇÃO
(6ª Feira, 17 de Abril de 2009)
Angra do Heroísmo / Angra do Heroísmo

Assistência Kms 20h20m
1ª PE Litoral 3,11 21h00m
Assistência 21h10m
Parque Fechado 21h45m

1ª ETAPA/2ª SECÇÃO
(Sábado, 18 de Abril de 2009)
Angra do Heroísmo / Angra do Heroísmo

Assistência 09h08m
2ª PE Império / Feteira 1 8,74 10h00m
3ª PE Barro Vermelho / PIAH 1 12,46 10h30m
Assistência 11h08m
4ª PE Império / Feteira 2 8,74 12h00m
5ª PE Barro Vermelho / PIAH 2 12,46 12h30m
Reagrupamento 12h55m

1ª ETAPA/3ª SECÇÃO
(Sábado, 18 de Abril de 2009)
Angra do Heroísmo / Angra do Heroísmo

Assistência 13h58m
6ª PE Vila Nova 1 7,72 14h50m
7ª PE São Brás / Lagoa do Junco 1 14,70 15h20m
Assistência 15h58m
8ª PE Vila Nova 2 7,72 16h50m
9ª PE São Brás / Lagoa do Junco 2 12,46 17h20m
Assistência 17h58m

Chegada Angra - Praça Velha (18h30m)

 


 

publicado por MSA às 23:47
link do post | comentar | favorito

Imagem.

Os ilhéus. Lá longe, parecendo uma outra (e nova) realidade...

publicado por MSA às 13:17
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Domingo, 12 de Abril de 2009

Lisa Ekdahl - One Life (Intimate live session).

publicado por MSA às 12:55
link do post | comentar | favorito

Ah, e barcos também...

Esperem lá, mas então este contrato não é o tal que não se podia quebrar, conforme - no seu desconhecimento da realidade regional - Berta Cabral "aconselhou" há três meses?...


 

publicado por MSA às 06:32
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sábado, 11 de Abril de 2009

IQ "elevado"...

Olhem que "prezada" a minha Anita de IQ...no Porto das Pipas...

Embora directamente ligado ao jornalismo automóvel, confesso que os testes de novos modelos não são coisa que me seduza por aí além. Mesmo se adoro conduzir e se - quanto mais melhor... - a diversidade de opções seja um atractivo, mas a verdade é que a cobertura ao nível do comércio e indústria me deixa, há uns bons anos, a opinião assente em algumas dúvidas. 

Há duas semanas, e a convite do concessionário local da Toyota, tive a oportunidade de experimentar a nova "coqueluche" da marca nipónica, o IQ.

Naturalmente talhado para um nicho de mercado - o dos (mais) pequenos citadinos -, o bonito carrinho apresentou-se na Terceira com duas motorizações e algumas opções extra interessantes, como aliás é o veículo no seu todo. Pela minha parte, e deixando o verdadeiro ensaio para quem o fez de facto, sublinho que experimentei primeiro o fogoso 1.4 Hdi, uma pequena "bomba" com 90 cavalos e andamento para dar e vender, apenas depois guiando o 1.0 a gasolina, sem dúvida menos atractivo e com menos "pica" para quem vai atrás do volante. Pese embora o seu elevado preço, e confessando aqui que acho o Smart ForTwo mais "carrinho-de-corridas" que este IQ, acrescento que é um carro muito engraçado de tripular, onde o conforto está bem presente e as opções técnicas conseguidas numa estética que roça o consensual. Um brinquedo bem giro para a garagem de quem gosta de carros...como eu!

publicado por MSA às 03:43
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 10 de Abril de 2009

Imagem...

...em cartaz. Chocante, mas genialmente elucidativa.

publicado por MSA às 12:33
link do post | comentar | favorito

1º Raid dos Açores foi há 20 anos!

Os vencedores da primeira prova de TT nos Açores...

(1989-João Paim, Luís Cardoso e Luís Silva no Suzuki Samurai. Foto: Paulo Mendonça)

 

Há perto de um ano recordei aqui a primeira manifestação ligada ao todo-o-terreno realizada entre nós (referindo-me, naturalmente, a todo o arquipélago), com a ida de uma equipa doTerceira Automóvel Clube ao continente para marcar presença no 3º Raid a Portugal, evento do Clube Aventura, sob a batuta do recentemente falecido José Megre. Pois a 31 de Março, 1 e 2 de Abril de 1989, de novo o TAC estaria na vanguarda da modalidade, ao levar a cabo o “1º Raid dos Açores”, prova que juntaria nove viaturas 4x4 e sete motos, isto quando estávamos ainda bem longe da actual febre dos quads, dos guinchos, dos GPS, dos Hi-Lift’s e demais apetrechos hoje quase banais. Contando com o conhecimento no terreno de José Bernardo e do então motard João Rolo Simões – que tem vindo ultimamente a Angra no âmbito do “Down Garden” em BTT -, e com “Toni” Ortins como director de prova, o certame motivou uma natural curiosidade, com a sua apresentação a ser feita na “Twin’s Pub” – patrocinadora oficial – e a comunicação social a denotar grande interesse no seu desenrolar. Da história da prova contam-se alguns episódios caricatos, com concorrentes perfeitamente perdidos nos “road-books” e rodando bem ao largo dos controlos de passagem, para além de alguns “atascanços” de nota a dificultarem a vida a outros, tendo a organização prevenido mesmo um dos locais com um disponível tractor. Etapas de navegação, com uma nocturna a ser decisiva e uma prova de Trial para os lados dos Altares marcaram a progressão do acontecimento que seria ganho por uma tripla, a bordo de um Suzuki Samurai “longo”, exactamente João Paim, Luís Cardoso e Luís Silva, os melhores na geral que englobava ambas as vertentes da prova, sendo seguidos por Jorge Costa/Victor Toste (Suzuki) e José Manuel Bettencourt/José Valadão/Tiago Bettencourt, também num jipe da marca nipónica. Completaram a tabela José Rocha (Toyota), Manuel Grade (Toyota), Luís Brito de Azevedo (UMM) – que viria a ganhar o 2º Raid dos Açores no mesmo ano -, Carlos Brasil (Toyota), Virgínio Carvalho (Nissan) e os irmãos Almeida (João Manuel e Manuel João) com João Hermínio, em Nissan que, juntamente com João Paim foram os únicos a “zerar” no simples Trial. Entre as motos a curiosidade da prova foi a decisão via-Trial que a mesma teve, uma vez que a geral era conjunta, com Rui Natal Costa (que mal abrira o “road-book”…) a vencer, na frente de Jorge Braz (esse sim o “navegador” de serviço…correndo com o emblema da “Ela” colado numa samarra de cabedal…) e de João Cruz, todos em Yamaha DT 125. Depois deles ficou Joaquim do Carmo (Yamaha), Paulo Raulino (Kawasaki) e Patrício Linhares (Yamaha), com Jorge Azevedo (Cagiva) a ser o único desistente.
Foi uma prova que abriu as hostes de uma actividade com notável sucesso entre nós e que permitiu descobrir, ao longo dos anos, trilhos fantásticos, uns caídos em desuso pelas asfaltagens, outros incrivelmente proibidos de utilizar graças a uma política ambiental autoritária que não entende as verdadeiras motivações dos amantes do fora-de-estrada. Mas como o texto - que seguiu as tabelas da reportagem de então feita pelo amigo Paulo Mendonça no D.I. – é de comemoração, que fiquem as críticas para outra hora. É que o tempo voa!
 
PS- Com tanto acontecimento desportivo motorizado nesta terra, confesso que me “passou” por uns dias esta data…e logo a mim que ando sempre a contar o tempo para recordar. De qualquer modo fica a informação de que esta primeira prova de TT na região foi disputada exactamente 11 anos depois do saudoso Rali Primavera, o primeiro evento oficial do TAC. Isto apesar do Raid ter estado agendado para dois meses antes, sendo adiado sem justificação, o que motivaria alguns amargos de boca para o clube na altura, que ainda mais se esqueceu depois da coincidência exacta de datas do primeiro TT e do primeiro rali. Aconteceu.

 

publicado por MSA às 11:07
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 9 de Abril de 2009

"Rodas e Motores" já online...

Um espaço que, espero eu, dê resultado...

Está desde ontem disponível no site da “Azores Global TV e apresenta, na sua primeira edição uma entrevista com o reeleito presidente do Terceira Automóvel Clube, Gerardo Rosa.

 

Com apresentação de Miguel Azevedo e edição de Pedro Alves, Rodas e Motores promete ser um novo espaço online, com periodicidade semanal, “onde os desportos motorizados, e não só, tenham lugar”, explica o apresentador do programa.

 

Criado para dar o devido retorno a “um conjunto enorme de iniciativas que se realizam na Terceira e até noutras ilhas, e sendo que naturalmente não se chegará a todas”, o Rodas e Motoresserá também “uma montra para quem quiser partilhar as suas imagens, com a vantagem de, sendo um programa online, ficar disponível numa plataforma que recebe milhares de visitantes semanais”, acrescenta.

 

Para além desta iniciativa a TV virtual da “Azores Global” tem já em preparação mais uma transmissão em directo, no caso do 28º Rali Sical (dias 17 e 18), onde todos os troços serão visionados e comentados em tempo real, o que acontecerá pela terceira vez consecutiva.


by "porto das pipas PRESS"...

publicado por MSA às 11:59
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Rap "terceirense"...

(não aconselhável a menores de 18 anos ou a pessoas impressionáveis com linguística agressiva...também aqui)


 

publicado por MSA às 11:14
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 8 de Abril de 2009

The Ball.

"Children in Mozambique have found an interesting way to make a football."

 

E, em português, o video é delicioso...
 


 

Crew Director: Orlando Mesquita

Script: Licinio Azevedo, Orlando Mesquita

Producer: Licínio Azevedo

Production Manager: Abdul Manafe

Camera: João "Funcho"

Costa Sound: Valente Dimande

Editor: Orlando Mesquita

Translator: Pedro Fernando Manhefero

English Translation: Ken Hansen

Editbox Editor: Charles Brittz

Audio Final

Mix: Barry Donnelly

Subtitles: Royston Michaels

Post Production Facility: The Refinery - Cape Town

Music Composer: Chico António

Performers: Rufas Maculuve, Felipe Mondlane, Milton Chissano Credits and Thanks Clara Chinaca, Daniel Freita, Manuel Mario, Ribeiro Xadreque, Betinho Castro, Mário Francisco, Vasco Domingos, Eusébio João, Felipe Catcheca, Campos Manuel, Danilo Marques, GESOM (Grupo de Educação Social de Manica), Copacabana Lodge.

publicado por MSA às 10:15
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

.Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
16
17
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Valparaiso with Phoebe Ki...

. Todos a Mortágua!

. E o Dragão (re)aquece...

. II Gala Planeta Mulher

. As crónicas do Marcos, em...

. 39º Rali Ilha Lilás/Além ...

. Pousio.

. Rego vence rali de emoçõe...

. #4 Especial Rali 39º Rali...

. 39º Rali Ilha Lilás: Rumo...

.arquivos

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

.quem cá passa

Contador de visitas

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds