Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

PORTO DAS PIPAS

miguel de sousa azevedo - açores

PORTO DAS PIPAS

miguel de sousa azevedo - açores

31.Dez.08

Ao Ano Novo... (crónica)

e a rolha irá saltar daqui por algumas horas...

 

Num ano que acaba com um claro apelo ao equilíbrio por parte da figura maior do estado português, mesmo se motivada por “um acto de superior interesse nacional”, nada mais coerente do que escrevinhar algo que se assemelhe a um rol de boas novas que se gostariam de ver realizadas nos próximos 365 dias, mesmo contando que o ano em curso já vai levar um segundo à borla antes das doze badaladas de mais logo…
Reiterando o mote destas linhas, ressalvo que Cavaco Silva – que é a figura maior do estado português…- fez anteontem um discurso duro para explicar ao país a quebra de lealdade entre órgãos de soberania por causa do Estatuto dos Açores, ou seja, e numa nova temática, reforçaram-se as actuações do passado no Portugal dos grandes e dos pequeninos, com a habitual “guerrilha” partidária a sobrepor-se à explicação clara sobre o assunto o que, e ao segundo comunicado ao país, o presidente lá ajeitou, se bem que notoriamente tarde.
Aliás a tendência de dureza e algum sarcasmo não são estranhas à actualidade recente, isto enquanto Israel ataca e bombardeia selvaticamente a Faixa de Gaza, com a comunicação social a dar-nos em tempo útil a quantidade de mortos provocados, com casos concretos de inocentes e parentes dos inocentes exibindo o seu desgosto. Claro que tudo isto tem lógica, e aqui a ideia nem foi minha mas com ela concordo, num mundo onde atirar sapatos a uma pessoa é visto como um acto de pacifismo…se bem que aqui tenha de destacar os bons reflexos do quase-ex-presidente Bush no esquivar ao primeiro dos dois “Ducati 271” que lhe foram arremessados…
Num âmbito meramente local, ou português (vá lá…), o tribunal constitucional (que parece ter novas tarefas a realizar daqui por uns tempos…) chumbou há uns dias a norma que alargava de 90 para 180 dias o período experimental do contrato de um trabalhador. A declaração de inconstitucionalidade feriu de morte o excesso de zelo da maioria governamental de Sócrates, mas eis que o ministro Vieira da Silva até recebeu a notícia com tranquilidade, o que nem abona muito face à forma como reagia anteriormente a cada impulso sobre a matéria…
Mas em tempo de festas convém não esquecer a saúde, pelo que descansem os mais constipados lusos, é que a Direcção Geral da Saúde calculou que a infecção gripal em voga vá atingir (apenas) um milhão de portugueses durante esta época. Sabendo-se que as urgências acalmaram há dois dias atrás, e mesmo se as entidades afirmam que o pico da epidemia apenas irá ocorrer no final da semana em curso. Acresce dizer que o fenómeno só deverá atingir o seu auge na Terceira lá mais para o Carnaval, faltando aferir a constitucionalidade de tal diferença…
Continuando no mesmo tema e convirá recordar que, um ano após a vigência da nova legislação, Portugal registou uma das maiores descidas no consumo de tabaco do espaço europeu, isto atendendo a que cerca de 70% dos restaurantes são livres de fumo mas que as vendas de tabaco caíram entre 10 a 15 por cento. No dia preciso em que comemoro cinco anos de limpeza individual face ao alcatrão e à nicotina, apenas me resta aconselhar o bom senso, ou até consultar a Constituição sobre essa coisa de, nos Açores, se fumar muito mais barato que no resto da pátria…
Em jeito de rematar a prosa, acrescento que estes meus desejos relativos a 2009 estão a ser enviados do continente português para os Açores. Embora ciente de que tal possa roçar a inconstitucionalidade, arrisco ainda assim esperar que o novo ano seja melhor que o que agora termina. Até porque estou a enviar o texto por e-mail, quiçá uma forma de comunicação (assaz discreta…) que os nossos órgãos de soberania poderiam utilizar mais, ao invés das públicas e recentes batalhas e birras… Bom ano!

 

30.Dez.08

Coisas-que-não-chegam-ao-jornal...

" Por cá o novo Governo de César parece que não soube tirar qualquer
lição do passado recente e já decidiu comprar a fábrica de atum
“Santa Catarina” em S. Jorge. Parece que o Sr. Leovegildo já não
consegue mais pagar às dezenas de funcionárias que lá trabalham e
para estas não irem engrossar os números do desemprego e as
manchetes dos jornais, então vai-se lá comprar a fabriqueta. Refirase
que esta fábrica foi criada pelo Município da Calheta de S. Jorge
com o grande objectivo de criar emprego na naquela Ilha

 (…)
 Curiosamente,ninguém se admire se o Sr. Leovegildo ainda continuar por aí e daqui
a alguns anos seja de novo proprietário da fábrica que agra está a
vender. O resto já sabem…, pois é volta tudo ao início...
"
 
Nota do autor: Enviámos no passado dia 9 de Dezembro este texto ao senhor Armando Mendes do Diário Insular, pois anteriormente já nos tinha assegurado que não deixaria de publicar artigos de opinião que lhe enviássemos. No entanto, parece que os tais critérios editoriais que tanto fala, ficam esquecidos quando se trata de alguns assuntos mais delicados para uma certa autarquia jorgense. A mesma que paga a este senhor jornalista mensalmente cerca de 2000 euros por prestar serviços culturais que o Tribunal de Contas já considerou não terem sido devidamente contratados, por falta de consulta a outros prestadores do mesmo tipo de serviço. Afinal parece que sempre convêm ter algumas amizades nas direções editoriais de alguns meios de comunicação social e que também dá muito jeito (e alguns trocos) ter amizades em certas Câmaras Municipais. São critérios. Editoriais? Julgamos que não.

 

29.Dez.08

Maratona em menos de 2 horas?...

Haile Gebreselassie, actual recordista da Maratona...

 

A Federação Internacional do Atletismo (IAAF), colocou no seu site uma questão que tem vindo a ser alvo de acesas discussões um pouco por toda a parte, e isto após o record do mundo da Maratona, estabelecido por Haile Gebrselassie, em Berlim, em finais de Setembro deste ano, ter atingido as 2 horas, 3 minutos e 59 segundos.

Alguma vez o Homem será capaz de correr uma maratona em menos de duas horas? Esta é a pergunta deixada no ar pelo organismo que supervisiona o Atletismo a nível mundial, sendo curioso de verificar que, (até ao momento) 34% dos utilizadores que participaram na votação, considera que é possível, sim, baixar essa barreira das duas horas e isso antes de ano de 2020.

Maior equilíbrio entre aqueles que acham que o feito, até há pouco tempo inpensável, possa ser alcançado nos próximos 5 anos (quase 27%), contra os 24% a acreditar que só antes de 2050 essa será uma realidade.

Os restantes 15%, a minoria, não acreditam que o Homem possa alguma vez conseguir retirar quatro minutos ao actual recorde do mundo.

 

Quadro de evolução do recorde masculino da Maratona aqui / Fonte: Atletas.net


 

29.Dez.08

Uma imagem marcante...

Corre, Moniquinha! Que a vaca é bem grandinha!!! eh eh...

Esta foto, capturada no início de Agosto deste ano, tem vários significados especiais. Primeiro porque comprova o meu regresso a uma arena - mesmo que pequena... -, no caso a do tentadero do nosso amigo Humberto Filipe, coisa que não fazia desde que começei a usar óculos (acho que foi no final de 2003...). Em segundo lugar, e informando que o acontecimento retratado é tão só a excursão ao mato para ir buscar os toiros da Guarita - a cuja festa honrosamente associei o meu nome, o que se repetirá em 2009...-, porque o semi-passe em questão, ou os seguintes, me permitiram recordar uma nódoa negra de colhida como um enfeite giro para o restante Verão. E, por último - mas eloquente -, porque a acção contida na imagem era para ser um passe "à maneira" feito por afilhada e padrinho, ao que a minha querida Mónica - afilhada das andanças da "nossa" Tourada dos Estudantes... - reagiu com uma "desmarcação" bem ao jeito da grande #12 que ela tem sido no basquetebol luso! Vamos ter que arranjar uma outra oportunidade para o ano, certo? Bom 2009, "Moniquete"...!


 

29.Dez.08

Comunicação Social'08 (Abrupto).

" De um modo geral, a comunicação social portuguesa piorou em quase todos os aspectos. A espectacularização de toda a vida pública é hoje ao mesmo tempo uma causa da degradação da comunicação social e um seu poderoso efeito. A comunicação social funciona como uma fábrica de irrelevância, violando o seu contrato democrático original de ser o pilar do espaço público e da liberdade. Há muitas razões para acontecer o que está a acontecer, mas nenhuma justifica o que acontece à revelia da ética profissional dos jornalistas e das opções de um público supostamente responsável e exigente... "


 

28.Dez.08

Noite.

Ida ao cinema ("Caos Calmo", um filme italiano e que foi o ideal na óptica da descompressão de fim de ano...) e uma volta por este Porto (também) em mutação. Que dizer da Ribeira deserta (tendência dos útimos anos...) ou da "movida" crescente da Rua da Galeria de Paris? Além disso, o facto das temperaturas andarem a oscilar entre os 2 e os 10 graus (em Angra estão mais pelos 13/17...) ajuda a procurar com maior aplicação o calor humano. Seja como for, beber "frescas" na rua é que está a dar...!


 

Pág. 1/6