Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

PORTO DAS PIPAS

miguel de sousa azevedo - açores

PORTO DAS PIPAS

miguel de sousa azevedo - açores

29.Dez.05

Manhã.

Hoje viam-se, leves na alvura, as casas do Topo em São Jorge. E o pico do Pico, lá do alto, vigiava em cuidado todo o Grupo Central.

Pena que toda esta beleza indique uma chuvada daquelas para o "Reveíllon"...
27.Dez.05

De volta.

E ontem lá voámos, já os dois, em direcção às ilhas de bruma. Com um espírito diferente e um alívio notório, apesar de todas as coisas por resolver que ficaram em terras nortenhas.
Pelo meio ainda um paragem numa sossegada Ponta Delgada - bem a contrastar com o movimentado cenário de todos os dias -, onde uma visita de saudades nos vez marear os olhos. Como sempre aliás ficamos nestas coisas de muito tempo. Que pequenos parecemos, por vezes. Agora é só esperar pelo novo ano. Que é par, o que para mim é importante...
25.Dez.05

Um dos Poemas que me ofereceram neste Natal.

ESCUTO (Sophia de Mello Breyner Andresen)

Escuto mas não sei
Se o que oiço é silêncio
Ou deus

Escuto sem saber se estou ouvindo
O ressoar das planícies do vazio
Ou a consciência atenta
Que nos confins do universo
Me decifra e fita

Apenas sei que caminho como quem
É olhado amado e conhecido
E por isso em cada gesto ponho
Solenidade e risco

in "Geografia".
24.Dez.05

Bom Natal...a sério.

Provavelmente hoje já não escrevo mais nada por aqui. Ainda vamos ver se aproveitamos um bocadinho de Porto natalício para tentar respirar, com luzes, bolas e fitas, todo o alegre cinzento que esta cidade nos dá.


Este foi um ano com alguns sobressaltos. Alguns problemas graves, outros nem tanto. Mas, acima de tudo, foi um ano de mudanças. Radicais e inesperadas como devem ser todas as mudanças.


Uma coisa prevaleceu sempre e mantêm-nos unidos e amigos como sempre: o Amor. Esse amor que achamos se deve partilhar nesta quadra. Por isso, e do fundo do coração, os desejos são sinceros. Um Bom Natal, com muita Paz, e a lembrança de sempre.


*****@@@@@*****@@@@@

24.Dez.05

Curiosidade.

No preciso minuto em que, ontem à noite, eu saía do comboio em Campanhã, um pouco mais acima (em Guimarães e no Estádio D. Afonso Henriques) Ricardo Quaresma "abria o livro"...

Já agora, quem será o felizardo que vende cadeiras para o Estádio da cidade-berço?...
24.Dez.05

Contratempos.

Sabem quando um dia tem tudo para correr bem e só aparecem problemas, chatices ou contrariedades? Pois é. Foi hoje, ou melhor foi ontem.
Valeram-me (-nos) os meus olhos pretos e o sorriso de que sentia tanta falta.
22.Dez.05

A Caminho. (+-19h45). No Comboio.

A voz é de alguém que já desapareceu. As novidades vão crescendo no grande número de estações de rádio a que já não estava habituado. Escrevo numa folha de uma revista porque, incompreensivelmente, os únicos papeís brancos que tenho são os da passagem que nos levará à ilha que começamos a partilhar em sorriso. Como já fazíamos com a vida.
Falam eles de postais de Natal e da "guerra" actual entre o correio electrónico e o correio tradicional. Os postais. E lembro-me do prazer que tínhamos a juntá-los por grupos e destinos, fazendo as respectivas dedicatórias, para encontrarem também uma cara alegre do outro lado. Que bom era colar-lhes os selos e fazê-los voar.

Pág. 1/4