Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

PORTO DAS PIPAS

miguel de sousa azevedo - açores

PORTO DAS PIPAS

miguel de sousa azevedo - açores

28.Jun.05

estrela cadente.

Pergunto por vezes ao céu porque se fizeram as distâncias. E, aceitando que as há e que são necessárias, porque se dificultou o poder de ultrapassá-las...
Nunca tanto, como numa noite de Verão em que a chuva imprevisível amainou um calor desgraçado, deixando um cheiro a terra quente pelo ar, me senti preso pela distância que não me deixa sair. Nunca tanto...
28.Jun.05

Mário Miguel imperial na Feira de São João'2005.

MarioMiguel.JPGMário Miguel conquistou todos os troféus referentes ao toureio a pé na feira angrense. Frente a "El Fandi" e a Eugénio de Mora o (ainda) novilheiro da Praia da Vitória "calou" os mais cépticos e que, incompreensivelmente para uma população tida como aficcionada e amante da "fiesta", ainda punham dúvidas nas suas inatas qualidades de toureio e entrega.
Fazendo-se valer da grande rodagem adquirida nas últimas temporadas, e desde que deixou o toureio a cavalo para "descer" às arenas pelo pé, Mário Miguel brindou o muito público da Monumental Ilha Terceira com faenas de gosto e arte, rematando sempre com brio e levando a assistência a grandes ovações. Em suma uma actuação de luxo para um toureiro da terra e que merece ser acarinhado. Olé, Mário!
28.Jun.05

Rolls Royce Octopidarium, by DDACO.

RollsDDACO.jpg"Um velho Rolls-Royce Silver Shadow - de 1971 - feito bordel do século passado", é esta a proposta do artista plástico DDACO para o I Salão Internacional Erótico de Lisboa, na FIL de 30 de Junho a 3 de Julho. No lugar do motor há um jardim decorado com um bidé do século XIX. No interior do carro, sob espelhos, vê-se uma "chaise longue" onde se estende uma figura feminina a ser tocada por alguns dos tentáculos. O "polvo" (daí o "Octopidarium"...) representa na obra um misto de poder e prazer. No porta-bagagens foi criado um bar com bebidas frescas, e montada uma aparelhagem sonora à disposição dos clientes...
27.Jun.05

Carlos Martins e Nuno Rosado vão ser: "Açorianos rumo a Dakar" *

LandRover110.JPGPara além de se iniciar em Lisboa, o próximo “Dakar”, a prova rainha do todo-o-terreno idealizada por Thierry Sabine, terá uma outra novidade em estreia absoluta: Açorianos à partida!
Tudo vem na sequência de um sonho antigo de Carlos Martins, um conhecido aventureiro micaelense, de há muito ligado às andanças dos jipes e do todo-o-terreno. Para além do “Camel Trophy”, Carlos Martins passou já a fronteira marítima para participar na “Baja 500-Portalegre” e também nas “24 Horas de Fronteira”, provas de grande carisma no panorama português. Mais tarde viria a alargar as suas rotas para o continente africano tendo por duas vezes integrado as fileiras da “Cup 180”, conhecida prova que percorre o Norte de África. Em Janeiro de 2004 começou a desenhar-se uma possível ida à prova máxima do todo-o-terreno mundial, hipótese que se gorou devido a não se terem reunido as (muitas) condições necessárias.
Pois ao longo deste ano de 2005 o que era um sonho ganhou contornos de realidade e Carlos Martins far-se-á mesmo à estrada, tendo na “bacquet” do lado direito de um Land Rover Defender Pick-up 110, o terceirense Nuno Rosado. Sendo ainda bastante jovem, Rosado conta já muita experiência de navegação, que lhe provém dos seus múltiplos triunfos em provas fora de estrada em moto, tanto na sua Terceira natal como noutras ilhas. Para além disso será um elemento fundamental na fase final da preparação mecânica do carro inglês, um modelo com o qual Carlos Martins tem uma longa afinidade o que levou à sua escolha para enfrentar o duro desafio em direcção à capital do Senegal. O carro está a ser reforçado em termos de estrutura na firma Varela e C.ª (Ponta Delgada), ao que se seguirá a montagem de uma caixa desenhada para o efeito sob a égide da “Serralharia do Outeiro”, também na ilha verde. Posteriormente seguirá então para a Terceira, de modo a que o jovem navegador faça obra nos retoques indispensáveis à conclusão da preparação, cujos contornos gerais são orientados pelo experiente piloto “Manecas” Pereira, da conhecida firma “Azimute”, que já participou por três vezes na maratona africana. E será também da Terceira que sairá a assistência da equipa açoriana, com uma segunda viatura a ser tripulada por Leandro Rosado e Victor Hugo Carvalho, os mesmos que daqui por dias estarão a ligar os cabos extremos da Europa com os seus jipes (no caso um Toyota Land Cruiser e um Jeep Cherokee), no “Raid Auto-Photo Paris/Cap Nord”, uma prova de 14500 quilómetros que atravessará nove países durante cerca de um mês.
A participação de Carlos Martins e Nuno Rosado no “Lisboa/Dakar’2006” está orçada em muitos milhares de euros e apenas passou da hipótese à prática mediante diversos apoios institucionais e privados. Assim a equipa conta com um patrocinador principal que é a Disrego/Vodafone, à qual se juntam as firmas Marques Lda., Varela e C.ª Lda., Mutualista Açoriana, SATA, VHC e Agriloja. Em termos de apoios oficiais marcam presença o Governo Regional dos Açores e as Câmaras Municipais de Ponta Delgada e de Angra do Heroísmo, as cidades de onde são naturais piloto e navegador da equipa. A todos estes apoios há ainda a juntar a presença de um grande número de colaboradores que aderiu ao projecto.
Ainda no tocante à escolha da viatura, Carlos Martins destacou a resistência e a fiabilidade, bem como um menor custo na preparação, para escolher aquele que foi sempre o seu veículo de eleição para transpor os obstáculos. E, neste projecto, parece que quase todos os obstáculos vão ficando para trás, de modo a que 2006 comece com um grupo de Açorianos na capital portuguesa confiantes em ultrapassar as inúmeras armadilhas desse colosso chamado “Dakar”. Como breve nota poderá referir-se que foi também num Land Rover, mas num muito idoso 109, que pela primeira vez houve participantes da região em provas fora de portas. Foi em 1988 quando a equipa do T.A.C.-Terceira Automóvel Clube, formada por José Bernardo, Jorge Azevedo e Jorge Gomes, teve brio para terminar o 3º Raid de Portugal, organizado pelo Clube Aventura de José Megre. Os tempos eram outros mas as aspirações são exactamente iguais para os bravos que rumam a Dakar: terminar a prova. E oxalá se repita a história…

* Miguel de Sousa Azevedo (no Porto)
27.Jun.05

Mediatização.

Realmente o factor de conhecimento público de cada um enfatiza, em muito, os seus actos e desvios. Veja-se o caso recente de Artur Albarran, antigo jornalista que ficou célebre pela sua destemida actuação na (primeira) Guerra do Golfo.
Albarran foi detido pela PJ para responder a suspeitas de branquemento de capitais e evasão fiscal. Assim o fez e está livre sob leve coacção. Ainda ontem foi dada a conhecer a realidade actual da empresa de que era sócio: A supostamente falida Euroamer SPG. Segundo se sabe a Euroamer é uma empresa "fantasma" sem património imobiliário, sem dinheiro, sem funcionários, sem edifício-sede, e com uma interminável fila de credores a reivindicarem o pagamento de dívidas.
O caso é mediático, até pelo volume de negócios da holding que chegou a investir 200 milhões de contos num ano de mercado imobiliário português, mas mais ainda por ter Albarran como um dos sócios e o ex-director da CIA Frank Carlucci com um dos mentores...
Ou será que todo o empresário que, em Portugal, abra falência, deixe dívidas de monta, e "plante" todos os seus milhões em longinquos paraísos fiscais é notícia de abertura e primeira página?
E há bem poucos, pois há...
27.Jun.05

El Señor Coelhone...

Alguém me poderá explicar o que leva Jorge Coelho a berrar, dia após dia, a cada candidato autárquico do PS que apresenta?
O que motiva o coordenador da força socialista para as próximas eleições a insistir naqueles comícios bacocos de ataque e leva-e-traz?
Se tanto diz ter-se batido por uma política melhor para o país e por uma respeitabilidade acrescida dos seus intervenientes, porque é que não começa por si próprio? E, por favor, não berre mais. É feio e fica...
24.Jun.05

Espera de Gado...

Embora a distância nos tenha impedido de ir buscar os toiros ao mato, não quisemos deixar de enfeitar o carro. Assim, o nosso pequeno Vitara ostentava duas viçosas hortenses nas "pontas", uma azul e outra branca (pudera!)...quando estacionou às oito da manhã junto à porta.
É São João...

Pág. 1/6